Agora Marco Aurélio quer obrigar a Câmara a analisar o impeachment de Temer. Os parlamentares sérios terão que tomar uma posição

Por Renzo Brickmann

O Ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello decidiu que o presidente Renan Calheiros deve ser afastado. Pouco depois, cobrou explicações da Câmara sobre a abertura de impeachment contra Michel Temer. Em abril, o ministro havia obrigado o então presidente Eduardo Cunha a instalar uma comissão para analisar o pedido feito por um advogado mineiro que milita na extrema-esquerda.

Pelo que foi visto até agora, a intenção do ministro é cristalina: ele pretende desgastar o presidente Michel Temer e derrubar o governo, nem que isso custe levar o Brasil junto. Ao usurpar poderes do Legislativo, o ministro pretende embolar o jogo suspendendo pautas importantes para o país, o que só beneficia a narrativa da extrema-esquerda. É preciso lembrar que a jovem filha do ministro foi nomeada desembargadora do Tribunal Regional Federal da 2º Região. Por Dilma Rousseff. A mulher de Marco Aurélio também é desembargadora. Mais um motivo para não querer o fim de privilégios e supersalários, que irão terminar com a aprovação da PEC do Teto.

Sim, Renan Calheiros não é um parlamentar modelo. Pelo contrário, é uma das figuras mais nefastas do Congresso. Mas ele não é o único problema: também é m grande problema ter um golpista vestindo toga no STF. Considerando que no momento o povo brasileiro está sendo acuado por um presidente do Congresso corrupto e por um ministro do STF golpista, o correto é que os parlamentares sérios se unissem pelo impeachment de Marco Aurélio Mello e pela cassação de Renan Calheiros.

Anúncios

Um comentário sobre “Agora Marco Aurélio quer obrigar a Câmara a analisar o impeachment de Temer. Os parlamentares sérios terão que tomar uma posição

  1. Renan,Marco Aurélio,Lula,Dilma, Eduardo Cunha e mais alguns que ali estão .são farinha do mesmo saco; execto Marco Aurélio fomos nós que o colocamos lá.

    e agora como é sai dessa sinuca de bico?

Deixe uma resposta