Marco Aurélio entendeu que manter Renan na presidência do Senado poderia comprometer a segurança jurídica e a ordem

A decisão do ministro Marco Aurélio Mello para afastar Renan Calheiros da presidência do Senado deve ser submetida ao plenário do Supremo Tribunal Federal na sessão de quarta-feira (7/12). Segundo analistas, a previsão é de que a maioria dos ministros da Suprema Corte confirme a decisão e  fique do lado do Brasil.

“Mesmo diante da maioria absoluta já formada na arguição de descumprimento de preceito fundamental e réu, Calheiros continua na cadeira de presidente do Senado, ensejando manifestações de toda ordem, a comprometerem a segurança jurídica”, apontou Marco Aurélio.

“Urge providência, não para concluir o julgamento de fundo, atribuição do plenário, mas para implementar medida acauteladora, forte nas premissas do voto que prolatei, nos cinco votos no mesmo sentido, ou seja, na maioria absoluta já formada, bem como no risco de continuar na linha de substituição do presidente da República, réu, assim qualificado por decisão do Supremo.”

Com sua decisão, Marco Aurélio esvaziou a manobra  protagonizada por Dias Toffoli para manter Renan na presidência do Senado até fevereiro, quando será eleito um sucessor.

O Brasil estará de olho na próxima quarta para garantir que Renan Calheiros nunca mais volte para onde nem deveria ter chegado.

Fonte

Anúncios

2 comentários sobre “Marco Aurélio entendeu que manter Renan na presidência do Senado poderia comprometer a segurança jurídica e a ordem

  1. Esse Toffoli deveria criar um pouco de vergonha na cara, uma pessoa ainda jovem, estudou tanto para chegar onde chegou e agora se presta a um papel ridículo desses, Toffoli por favor dê mais valor ao que conseguiu, tantos desejariam chegar onde você chegou mas as condições financeiras não permitem, e você chegou mas não dá valor. Prefere ficar contra a Sociedade e ao lado desses BANDIDOS.

Deixe uma resposta