Afastamento de Renan inviabiliza dois importantes argumentos da extrema-esquerda

A decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Melo de afastar Renan Calheiros da presidência do Senado deve corroer três importantes argumentos da extrema-esquerda: a da seletividade da Justiça (que já estava em declínio desde a Operação Catilinárias da Polícia Federal), de que o impeachment foi golpe com intuito de barrar a Lava Jato e o argumento de que a Rede é um partido ético.

Renan ainda é um dos principais líderes do PMDB, com uma influência sem precedentes. E falhou em todas as suas investidas contra a Justiça. Ao deixar a presidência do Senado, ele dá lugar ao petista Jorge Viana, que é o primeiro vice-presidente da casa. Isso enfraquece a tese de quem dizia que um vice não pode assumir por não ter a legitimidade do voto. Quanto a Rede, fica uma questão para o partido: se não protocolarem um pedido para que Jorge Viana seja afastado do cargo, estarão prevaricando. Ocorre que Jorge Viana também é réu no STF, e, portanto não pode figurar na linha sucessória da presidência da República.

Considerando que ele é um dos principais aliados de Marina Silva, a mensagem da Rede para o país será de que o partido que se diz contrário à velha política usa a Justiça de acordo com seus próprios interesses – ou seja, nada diferente do PMDB que eles tanto criticam.

Anúncios

Um comentário sobre “Afastamento de Renan inviabiliza dois importantes argumentos da extrema-esquerda

  1. Amigo, buscando contribuir para o debate e em defesa do partido rede; segue:

    “Isso enfraquece a tese de quem dizia que um vice não pode assumir por não ter a legitimidade do voto.”

    Primeiramente, temos dois casos completamente diferentes. Dentro do senado e também da câmara dos deputados, os vices são eleitos diretamente pelos seus membros, há uma votação para Presidente e outras duas para dois Vice-presidentes. Situação diferente da eleição para Presidente do Poder Executivo. Nela você vota somente no Presidente e ele arrasta um vice junto, do qual a grande maioria das pessoas só ouve falar nos casos como o do Michel Temer.

    “Jorge Viana também é réu no STF” – Não encontrei tal informação, por favor, coloque a fonte.

    “Considerando que ele é um dos principais aliados de Marina Silva, a mensagem da Rede para o país será de que o partido que se diz contrário à velha política usa a Justiça de acordo com seus próprios interesses – ou seja, nada diferente do PMDB que eles tanto criticam.”

    Nessa parte do texto, o autor, nitidamente, tenta induzir o leitor a um julgamento errôneo sem um mínimo de base sólida para afirmar qualquer coisa descrita.

    Meu ponto de vista, esse artigo é uma merda. Afirmações não tem base nenhuma. É como alguém chegar para uma pessoa na rua e acusar ela de bandido e buscar justificativas bizarras pra isso.

    O partido rede, pelo contrário, tem sido coerente na grande maioria das suas decisões. Foi um dos partidos, juntamente com PPS e PSOL, que votaram contra a emenda do abuso de autoridade.

Deixe uma resposta