Brasília (DF), 17/04/2016. Deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) cuspiu em direvßv£o ao deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) apv=s ter votado contra a abertura do processo de impeachment. (Foto: Diego Vara / AGÊNCIA RBS / AG. O GLOBO) **RS E SC OUT**
**SOMENTE USO EDITORIAL**

PT e PSOL contra a corrupção é o mais novo golpe na praça

Artigo publicado originalmente no blog O Reacionário.
Hoje o PSOL protocolou um pedido de impeachment contra o presidente Michel Temer, enquanto o Partido dos Trabalhadores se articula para promover o máximo de instabilidade possível.
Escrevi aqui, que é provável que o Fora Temer pode se tornar uma obrigação para a Direita. Mas que isso não significa abraçar este canto da sereia entoado por quem até então falava que impeachment é golpe. Como sempre repeti por aqui, não é foi por burrice. O motivo de terem desqualificado o impeachment de Dilma e o desejo de milhões de brasileiros foi estratégia de quem acha legítimo solapar a democracia por meio de um esquema criminoso. Ou não foi este um dos motivos daquele freak show protagonizado por Jean Wyllys quando cuspiu em Bolsonaro?
Essa gente nos chamou de fascistas, nos ofendeu, diminuiu a gravidade do plano criminoso de poder. Esses andrajosos chegaram até a afirmar que isso era do jogo. E olha que tivemos coisas escabrosas no governo Dilma, como foi a conspiração para tirar Nestor Cerveró da cadeia por meio de um elaborado plano de fuga.
Esse papo de impeachment por plano de fuga não se sustenta. É golpe. Quem quiser mesmo o impeachment de Michel Temer tem algo mais do que uma fala indecorosa em favor de um ministro sem noção. Desafio PT, PSOL, PCdoB e outras quadrilhas para que peçam o impeachment de Temer com base no recebimento de dinheiro sujo pela chapa Dilma/Temer em 2014. E peçam para Dilma delatar o que sabe. Já sabemos que ela chegou a pagar assessores de Temer, e que aquele cheque da OAS entregue pela czarina do neurônio solitário como doação ao vice foi logo foi desmentido pela própria campanha petista. Pois é, eles disseram era doação normal, mas só quando o TSE sinalizou que aquilo também complicava a “presidenta”.

Quem não lembra das diversas declarações da extrema-esquerda defendendo a corrupção? Gleisi disse que a corrupção “deles” é diferente, já que “tinha motivações políticas”. Lula chamou os procuradores de Curitiba de “analfabetos políticos”, já que eles desconheciam que “este” é o jeito de se fazer política de coalizão. Janira Rocha também falou isso em um grampo, ao comentar a corrupção no PSOL. Recentemente foi Eugênio Aragão, que afirmou que “a corrupção era a graxa do desenvolvimento econômico”. E isso porque o homem foi Ministro da Justiça.

E não é só isso: que o PT, PCdoB e PSOL confessem seus crimes. Sim, meus caros. O PSOL também tem seus esqueletos no armário. Até hoje não falaram a verdade sobre o roubo de dinheiro dos trabalhadores do SINDSPREVI pela deputada estadual Janira Rocha, dinheiro que abasteceu as campanhas de Jean Wyllys e Chico Alencar. Não é possível que aquela desastrosa irresponsabilidade de Temer (um episódio desnecessário e vergonhoso para o presidente), seja pior do que isso. Isso aí não é só indignação seletiva: isso é fraude moral e desonestidade intelectual.
Por Eric Balbinus.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s