5nov2016-weverton-ramon-20-e-rikelly-maria-silva-18-deixarao-a-escola-que-ocupam-em-arapiraca-al-para-fazer-as-provas-do-enem-2016-1478354095239_615x300

Alguns estudantes deixam invasões para fazer a prova do Enem em outras escolas

Conforme o UOL, alguns invasores de escolas se encontram numa situação patética e vergonhosa. É o caso do jovem Weverton Ramon, 20, que vai deixar a invasão ilegal em que está há 19 dias, na Escola Estadual Manoel Lúcio, em Arapiraca (130 km de Maceió), para fazer prova do Enem em outro local, não invadido. Ele é aluno do terceiro ano do ensino médio da primeira escola invadida na cidade. Ele alega que fará faculdade de filosofia ou design, em Maceió. Dando uma de especialista em políticas públicas, o invasor diz que foi um erro suspender as provas.

“Deveria ter cancelado para todo mundo. Quem tiver mais tempo para estudar, terá vantagem”, defende o estudante, que fará prova no colégio particular Êxito. Enquanto deixa a escola, dois fiscais informam a quem chega que a escola está ocupada, e o Enem está cancelado no local invadido. “Já vieram umas três pessoas buscar informação”, diz uma fiscal.

Na mesma escola, em Arapiraca, Rikelly Maria Silva, 18, também irá fazer Enem neste fim de semana. No segundo ano do ensino médio, ela fará a prova apenas por experiência. Também adotando o tom fingido de especialista em políticas públicas, ela diz: “O MEC poderia ter conversado conosco e feito provas aqui e nas demais escolas ocupadas. Não teve eleição em tantos locais? E em Minas Gerais houve acordo com estudantes, poderiam todos fazer prova hoje, seria mais justo”.

Por conta das invasões, o MEC (Ministério da Educação) cancelou o Enem em mais de 400 locais de prova. Por questões puramente políticas – assumindo a agenda pró-PT – os milicianos invasores são contra a PEC 241 (que evita pedaladas e a gastança deliberada) e a medida provisória sobre reforma do ensino médio (que dá mais opções ao aluno para aproveitar melhor o ensino).

No fim das contas, é também uma tremenda injustiça, pois os invasores impediram deliberadamente as pessoas de fazerem exames do ENEM, mas estarão fazendo exames em outras escolas. Isso desmoraliza ainda mais o movimento dos invasores.

6 comentários sobre “Alguns estudantes deixam invasões para fazer a prova do Enem em outras escolas

  1. E a justiça brasileira calada diante dessa pouca vergonha. Milhares de alunos prejudicados e milhões de reais gastos porque um bando de maconheiros querem a propagação do comunismo. Reflexo do maldito governo petista que alienou esses jovens.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s