Petistas, aliados e linhas auxiliares foram varridos nas urnas e jogados na lata de lixo da história

Em todas as cidades nas quais o PT concorreu neste segundo turno, ele foi derrotado. Entretanto, havia ainda alguma chance com seus aliados e linhas auxiliares, dentro de partidos como PSOL, PDT e afins. Contudo, estes também demonstraram um desempenho muito aquém do desejado.

Ney Leveprost, que tinha em sua base de apoio partidos como PCdoB, PPL e o PDT do atual prefeito, perdeu em Curitiba. Nelson Marchezan Junior, do PSDB, derrotou o atual vice-prefeito Sebastião Melo em Porto Alegre. Melo, que tinha em sua chapa como vice a neta de Leonel Brizola e que recebeu apoio dos petistas no segundo turno, perdeu com mais 21 pontos de diferença.

Em Recife, o candidato do PT perdeu com quase 23 pontos de desvantagem, enquanto em Porto Velho o candidato do PTB perdeu com mais de 30 pontos de diferença. No Rio de Janeiro, Marcelo Freixo ficou para trás, sendo que o PSOL é uma das maiores linhas auxiliares do PT no país. O partido também ficou mal em Sorocaba, já que Raul Marcelo foi derrotado pelo Crespo, do DEM, e com uma diferença grande de votos.

Anúncios

Um comentário sobre “Petistas, aliados e linhas auxiliares foram varridos nas urnas e jogados na lata de lixo da história

  1. Acho que o povo já cansou da conversa fiada dos esquerdistas…eles pagam de defensores dos oprimidos, mas a unica coisa que interessa a eles é o poder e pagarem de justiceiros… No final das contas só dividem a sociedade e geram caos com políticas bisonhas de segurança, social e educacional…O poder de mudança do Brasil não está no estado e sim no trabalho da nação (seja rico ou pobre, desde que seja honesto)…O estado muito ajuda quando não atrapalha!!! MENOS ESTADO!!! MENOS IMPOSTOS!!!

Deixe uma resposta