maxresdefault-e1477234845217

Vereador eleito no Paraná que luta pelo Escola sem Partido é vítima de perseguição política

Filipe Barros, vereador eleito em Londrina que é também membro do Movimento Brasil Livre, tem sido vítima de perseguição política na cidade por defender o projeto Escola Sem Partido.

Depois de uma campanha cheia de calúnias, protestos forjados e até mesmo ameaças de violência física, agora vitorioso, o vereador eleito é vítima de um processo na Justiça, movido por uma advogada da CUT, ligada à Juventude do PT.

O MBL emitiu uma nota a respeito do caso. Abaixo, reproduzimos na íntegra:

“A rede de difamação que se montou nos últimos meses contra a vitoriosa campanha do vereador Filipe Barros vai bater às portas da Justiça nesta quinta-feira (27). Será uma ótima oportunidade para esclarecer o povo de Londrina sobre a farsa montada pelos grupos políticos derrotados na eleição de outubro.

Desde que o Filipe lançou sua campanha, a companheirada tentou de todas as formas impedir a ascensão do jovem político. Valia tudo: calúnias sistemáticas por rede social, ameaças de agressão, aliciamento de menores para protesto de rua, foto do Filipe estilo bang-bang em escolas invadidas por militantes. A cereja do bolo veio agora com a ação movida por uma advogada da CUT, ligada à juventude do PT. Decerto a moça ficou chateada com o fato de que a Câmara não terá nenhum petista nos próximos quatro anos.

Para ficar em um exemplo melancólico, um dos esquerdistas revoltados com a vitória do Filipe chama-se André Guimarães. Ex-assessor do ex-deputado André Vargas, ele foi citado na revista Veja, de março de 2013 [“O petista que explora, na internet, a indústria da difamação”]. Era apontado como chefe de uma milícia de mentiras petistas das redes sociais. Agora, com seu ex-patrão preso em Curitiba pela Lava Jato, André juntou-se ao coro dos derrotados para atacar o líder da direita londrinense. Teve gente que até prometeu transformar a vida do Filipe “num inferno”. Ocorre que a chama dessa turma anda meio apagada, principalmente depois da Lava Jato. O inferno da esquerda deu chabu.

Nós temos confiança na Justiça e no Ministério Público. O Brasil vive um novo tempo: tempo de Moro, tempo de Carmen Lúcia , tempo de Dallagnol. O bom de trabalhar com a verdade é isto: ela nos dá confiança e fé para combater o bom combate.

Apesar do chororô dos derrotados, Londrina vai endireitar.”

Um comentário sobre “Vereador eleito no Paraná que luta pelo Escola sem Partido é vítima de perseguição política

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s