camila-lanes-003

Hipocrisia: UBES defendeu reforma do ensino médio quando a proposta veio do governo Dilma

Apesar de bradarem contra as propostas de reforma do ensino médio e invadirem escolas usando esse argumento, a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas apoiou a medida quando a ideia partiu do governo Dilma Rousseff. É o que mostra uma matéria publicada no site da instituição em 6 de Setembro de 2011.

O grupo não só se mostra receptivo, como também apoiou a ideia com o argumento de que aquilo representava “a luta dos estudantes”. “Segue a luta pela reformulação do ensino médio, assim é que se constrói a escola do novo Brasil!”, afirma a UBES no final do texto. No entanto, o grupo passou a criticar a medida após o impeachment de Dilma Rousseff.

A UBES é presidida por Camila Lanes, filiada ao Partido Comunista do Brasil. Apesar de presidir uma entidade de secundaristas, Camila Lanes tem 21 anos. Recentemente, a jovem se envolveu em uma polêmica ao culpar o MBL e os críticos das invasões pela morte do estudante Lucas Eduardo Mota, assassinado por um colega em uma das escolas invadidas em Curitiba. Lucas e o colega entraram em confronto físico após consumirem drogas nas dependências da escola. Apesar da morte, a extrema-esquerda garante que seguirão com a mobilização pelas invasões de escolas, contra a reforma do ensino médio e contra a PEC 241 (cujos termos também já foram defendidos pelo governo Dilma).

Leia abaixo o texto em que a UBES apoia a reforma do Ensino Médio. O texto também pode ser lido aqui, no portal da entidade.

O grupo de debate sobre a “Reformulação do Ensino Médio” encheu a sala da Escola Profissional de Economia Social (EPES) em Brasília no segundo dia do 13º CONEG da UBES; além dos estudantes, o deputado federal Reginaldo Lopes e a professora Sandra Garcia, representante do Ministério da Educação (MEC), também participaram do debate.

Os estudantes, representando diferentes estados do nosso Brasil aproveitaram o momento para mostrar a que vieram.  Questionaram o favoritismo na concessão de bolsas para iniciação científica, professores sem formação adequada, principalmente a que se diz respeito às disciplinas de filosofia e sociologia.

Quando dizemos que somos “uma rebeldia consequente” não há como negar, prova disso foi um dos estudantes que questionou a falta de formação na escola quanto os nossos direitos como cidadãos, e perguntou: “Como podemos conhecer as leis?”.

Nada melhor como o olhar de dentro da situação pra sanar os problemas, foi com essa propriedade que Priscila Duarte, presidente da UMES do Amazonas, iniciou a sua intervenção no debate. Ela diz que as melhorias na educação começam na estrutura física da escola, principalmente nos laboratórios que muitas vezes nem existem dentro das instituições de ensino de seu estado.

Tempo integral, eleição direta nas escolas para eleger diretores e grêmios; essas são algumas das reivindicações da juventude que busca democraticamente discutir com os representantes do governo a luta do movimento estudantil.

Segundo Reginaldo Lopes os dois grandes objetivos para o ensino médio é a formação tecnológica e a inserção do jovem no mundo das ciências; o deputado afirma que existe no Brasil, cerca de 25 mil escolas de ensino médio e que o mais caro para a educação nesse cenário é manter professores qualificados.

As metas do governo é de que até 2016 o ensino médio esteja universalizado, o que representa a busca pelo fim da distorção idade e série; junto a isso, a função de unir o ensino técnico à profissionalização, afirma Sandra Garcia.

Ela diz que é através da tecnologia, da cultura e do conhecimento contemporâneo acontecerá a indução da juventude às políticas públicas, como é o caso dos estudantes que participam do CONEG, e completa: “Os alunos precisam ter opções, as áreas de profissionalização precisam ser escolhidas dentro da escola, e não de cima para baixo”, diz.

E segue a luta pela reformulação do ensino médio, assim é que se constrói a escola do novo Brasil!

10 comentários sobre “Hipocrisia: UBES defendeu reforma do ensino médio quando a proposta veio do governo Dilma

  1. O grande problema dos dias de hoje, são as redes sociais, elas estão dando voz à pessoas que não deveriam ser ouvidas. A menina tem 21 anos, que experiência tem para querer liderar os jovens estudantes que precisam que “os nortes” sejam mostrados, ela está sendo o mau exemplo para os meninos e meninas nas escolas secundaristas e em segundo lugar, a maioria é menor de idade, onde estão os pais que permitem isso?

    Curtir

  2. 13 anos de governo PT, não ouvimos sequer movimentos sindicais dos professores, dos estudantes reinvidicarem qualquer coisa relacionada a reforma da educação, melhorias da qualidade de ensino, melhores salários para professores da carreira de segundo grau, enfim…essa reforma foi planejada no governo anterior ao atual, e agora falam em discutir a reforma? Democracia? Porque o movimento dos estudantes não foram as ruas quando Dilma com seu slogan “Pátria educadora” cortou 10 bilhões da educação? Realmente o legado do PT é fazer baderna, nunca na história desse país enquanto não estiveram no poder foi em ter um pensamento pró Brasil. A tática será a mesma desconstrução do país. Vamos acordar, não esqueçam dos nomes desses políticos que estão apoiando este movimento 2018 está aí. FORA!!!

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s