propina-da-odebrecht-na-obra-da-arena-corinthians-o-itaquerao-implica-lula-emilio-odebrecht-andres-sanchez

Patriarca da Odebrecht diz que Arena do Corinthians foi presente para Lula

Como aponta a Folha, a Lava Jato está chegando ao Corinthians. Ocorre que Emílio Odebrecht – presidente do conselho de administração do grupo que leva o seu sobrenome – delatou que o estádio construído pela empreiteira foi uma espécie de presente ao ex-presidente Lula, torcedor do time.

O agrado teria sido uma retribuição à suposta ajuda de Lula ao grupo nos oito anos em que o petista comandou o país, de 2003 a 2010. Sob governos do PT, de 2003 a 2015, o faturamento do grupo Odebrecht multiplicou-se por sete, de R$ 17,3 bilhões para R$ 132 bilhões, em valores nominais (a inflação do período foi de 102%).

Emílio é pai de Marcelo Odebrecht, trancafiado desde junho de 2015 e condenado a 19 anos de prisão. Por pressão do patriarca, ele e cerca de 80 executivos do grupo decidiram buscar um acordo de delação premiada. Os relatos, que indicam suborno, ainda terão de ser homologados pela Justiça.

Conhecida como Itaquerão, a arena do Corinthians, na zona leste de São Paulo, foi construída pela empreiteira de 2011 a 2014, quando foi palco da abertura da Copa do Mundo. Custou R$ 1,2 bilhão, quase 50% acima da estimativa inicial do projeto, de R$ 820 milhões. A obra foi financiada por recursos do BNDES (R$ 400 milhões), títulos autorizados pela Prefeitura de São Paulo (de até R$ 420 milhões) e empréstimos em bancos privados. Na época, o prefeito era Gilberto Kassab (PSD).

O presidente do clube à época, o atual deputado Andrés Sanchez (PT-SP), já havia dito em 2011 à revista “Época” que Emílio participara do projeto financeiro da arena: “Quem fez o estádio fomos eu e o Lula. Garanto que vai custar mais de R$ 1 bilhão. Ponto. A parte financeira ninguém mexeu. Só eu, o Lula e o Emílio Odebrecht”. O resultado da equação financeira montada foi desastroso. Dos R$ 420 milhões de títulos com emissão autorizada pela prefeitura, que poderiam ser usados para quitar dívidas municipais, foram vendidos R$ 25 milhões. Para piorar, o Corinthians não tem pago as parcelas mensais de R$ 5,7 milhões ao BNDES, com o consentimento da Caixa, que intermediou o empréstimo, porque negocia uma carência maior.

A arena deveria ter arrecadado R$ 112 milhões no ano passado, mas conseguiu R$ 90 milhões. Se o desempenho se repetir nos próximos anos, o Corinthians pode perder o estádio para a Odebrecht, segundo contrato do clube e um fundo que cuida do empreendimento.

 

3 comentários sobre “Patriarca da Odebrecht diz que Arena do Corinthians foi presente para Lula

  1. É simplesmente nojento, o que esse poder político e empresarial, fazem com a coisa pública em detrimento de seus enriquecimentos, não individual e sim pra cinquenta gerações a frente, e o pior e ver um canalha como o lula, ficar na midia tentando pousar de inocente com falatórios que nem ele mesmo acredita, mas mesmo assim, essse individo, ainda não está na cadeia, até qundo tempos que suportar a cara de pau, o cinismo desse cidadão, se é que um elemento desse pode ser chamado assim.

    Curtir

  2. Ninguém suporta mais este bandido chamado Lula, que já deveria estar preso.
    Quanto a este tal de Aragão é outro medíocre que quer aparecer mentindo. É também um crápula PETISTA.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s