PT usou R$ 6,4 milhões de dinheiro público para pagar empresa investigada na Acrônimo

Mais um escândalo no uso de dinheiro público por parte do Partido dos Trabalhadores: os dirigentes usaram R$ 6,4 milhões de verbas oriundas do fundo partidário para fazer um pagamento à agencia Pepper Comunicação Interativa. A Pepper foi contratada em janeiro de 2015, logo após o início das investigações que deram origem da Operação Acrônimo.

O uso do fundo partidário para pagar a agência está causando controvérsias, já que a empresa foi alvo de vários inquéritos. Parte importante do esquema criminoso operado pelo Partido dos Trabalhadores, a Pepper está relacionada com as acusações contra o governador petista Fernando Pimentel e a primeira-dama Carolina Pimentel. A agência também foi responsável pelos pagamentos feitos ao publicitário Jefferson Monteiro, do perfil fake Dilma Bolada.

O Fundo Especial de Assistência Financeira aos Partidos Políticos (mais conhecido como fundo partidário), é um fundo oriundo de multas eleitorais, penalidades e dotações orçamentárias da União. As siglas devem estar com suas prestações de conta em dia para receberem o dinheiro. Em 2015, o PT foi o partido que recebeu mais dinheiro do fundo. Foram R$ 116,2 milhões, muito mais que o PSDB, que foi o segundo colocado com R$ 95 milhões. Conforme foi noticiado aqui no Jornalivre mais cedo, o PT usou o dinheiro até para bancar viagens de dirigentes para Cuba e França.

Anúncios

Um comentário sobre “PT usou R$ 6,4 milhões de dinheiro público para pagar empresa investigada na Acrônimo

Deixe uma resposta