Transação sigilosa do Itaquerão entra na mira da Lava Jato

O Itaquerão – também conhecida como Arena do Corinthians – entrou na mira da Lava Jato. A razão é uma transação sigilosa entre a Odebrecht e a Caixa Econômica Federal (em 2014) para cobrir um rombo milionário na construção do estádio.

Conforme a Folha, o dinheiro torrado pela empreiteira no estádio não tem prazo para retorno. Daí, para dar uma força à Odebrecht em sua recuperação, a Caixa comprou debêntures emitidas pela empreiteira no valor de pelo menos R$ 350 milhões. Esses debêntures são títulos de crédito jogados no mercado para fazer captação de recursos. É quase como se fosse um empréstimo, que a Odebrecht teria que devolver à Caixa com juros.

O ex-presidente do time, o deputado federal petista Andrés Sanchez, participou do projeto de construção do estádio e confirmou a transação. Porém, ele alegou que o acerto foi feito entre a Caixa e a Odebrecht, sem envolver o clube, e por isso não comentaria a negociata.

Marcelo Odebrecht está preso em Curitiba há um ano e quatro meses e foi condenado a 19 anos de prisão por crimes como corrupção e lavagem de dinheiro.

Anúncios

11 comentários sobre “Transação sigilosa do Itaquerão entra na mira da Lava Jato

    1. Se transformarem este estádio do Curintia em presídio de segurança máxima, o espaço será pequeno para prender tanta vagabundo de colarinho branco, principalmente este canalha do Lula.

  1. Precisa ver isso direito, o clube foi o principal beneficiado em bora não esteja conseguindo pagar os $5.700.000,00 por mês. Mas com certeza a dinheirama foi para bolsos das diretorias. Ou vcs dúvida?

  2. Só corrupção… uma atrás da outra… daqui a pouco vão aparecer uma em cima da outra… a quantos andares essas corrupções vão atingir?

  3. e a globo que deve 1.500.000.000,00 isso mesmo um bilhao e 500 milhoes para receota federal, em troca a globo reelegeria a dilma e ela sumiria com a divida, mas ela foi cassada e agora ?

Deixe uma resposta