Carlos Andreazza lacra e expõe a complacência de Marcelo Freixo com os Black Blocs

O jornalista Carlos Andreazza deu uma cutucada forte em Marcelo Freixo e seu partido, o PSOL, por eles serem complacentes e até mesmo defensores da tática black bloc, aquela que consiste em jovens se vestirem de preto, cobrirem os rostos e saírem por aí ateando fogo, quebrando coisas e ameaçando vidas humanas.

Ao fazer suas críticas, imediatamente os intolerantes da militância do partido surgiram para atacá-lo e chamá-lo de fascista, curiosamente defendendo os verdadeiros fascistas – os black blocs. Andreazza comentou a respeito disso hoje, na Jovem Pan.

“Em minha coluna da última terça, no jornal O Globo, abordei o que, com generosidade, se pode chamar de complacência de Marcelo Freixo, do PSOL para com o movimento Black Bloc. Já tratado no site do partido como algo ‘progressivo’ e ‘politicamente moderno'”, diz o jornalista.

E continua:

“A reação de seus fiéis, imediata e agressiva, apenas comprovam o que escrevi. Que por trás do discurso sedutor de centro acadêmico, que arrebanha os descolados e culpados da zona sul do Rio do Janeiro, o PSOL e seu expoente Freixo são, na verdade, os fiadores de uma atitude intimidadora que depedra não só o patrimônio público, mas que também pretende dilapidar o contraditório. Questione-os e seja fascista.”

Anúncios

Deixe uma resposta