Ao contrário do que o partido diz, PSOL diminuiu em comparação a 2012

Tem sido dito por aí que o PSOL cresceu muito nos últimos anos, mas os números não confirmam essa informação. Ao contrário, o partido encolheu se comparado com as eleições de 2012. Vamos aos fatos.

Neste ano, em Belém e Rio de Janeiro, o PSOL disputará o segundo turno. Mesmo que isso fosse razão para comemorar, em todos os mais de 5 mil municípios brasileiros o partido elegeu apenas dois prefeitos. Ocorre, no entanto, que se compararmos os números de 2012 com os de agora, tanto Marcelo Freixo quanto Edimilson Rodrigues, de Belém, fizeram menos votos, e não mais.

Em 2012, o psolista Edmilson Rodrigues ficou em primeiro lugar na disputa eleitoral, com 252.049 votos (32,58%). Este ano, ele ficou em segundo, com 229.343 (29,5%). O caso de Freixo é ainda mais alarmante. Em 2012 o candidato conquistou 914.082 votos, 28,15%. Agora, ficou com 553.424, ou 18,26%. Ou seja, são quase 400 mil votos a menos.

Em 2012 Freixo só não chegou ao segundo turno porque Eduardo Paes estava em uma coligação gigantesca, recebendo apoio do PT e até do PCdoB de Jandira Feghali. A verdade, portanto, é que o PSOL está no segundo turno por pura sorte, já que seus principais opositores como Pedro Paulo e Flávio Bolsonaro fizeram uma péssima campanha.

Anúncios

2 comentários sobre “Ao contrário do que o partido diz, PSOL diminuiu em comparação a 2012

  1. O número de vereadores eleitos pelo PSOl no Brasil inteiro aumentou, o de prefeitos eleitos também, de 1 para 3, podendo eleger mais 3 no segundo turno. Essa matéria falou apenas numa questão específica, os votos pra prefeito do Rio pelo PSOl. Isso diminuiu sim.

Deixe uma resposta