R$ 300 milhões em doações eleitorais feitos por gente sem renda fixa

O Tribunal Superior Eleitoral apurou um total de 93 mil doações realizadas este ano para campanhas de candidatos a prefeito e vereador que, de forma muito esquisita, vieram de pessoas com baixa renda ou com uma renda totalmente incompatível com o valor doado. A soma de todas estas doações atinge aproximadamente R$ 300 milhões.

A suspeita do TSE é de que algumas campanhas tenham usado CPFs de cidadãos comuns, de maneira aleatória, para falsificar as doações, dando a entender que vieram de outras pessoas. Há também a possibilidade de que tenham usado “laranjas”, pessoas pagas para fazerem as doações sem levantar suspeita.

Há até casos de pessoas sem nenhuma renda fixa que chegaram a doar quantias altíssimas. Em Porto Alegre, um cidadão desempregado doou R$ 100 mil para a campanha de um candidato a prefeito.

O estudo, que continuará sendo feito até depois do dia da votação, é entregue semanalmente ao TSE, que o repassa ao Ministério Público e a juízes eleitorais. Cabe aos procuradores e magistrados avaliar a abertura de investigações. Se for comprovada a participação do candidato em fraudes, seu registro pode ser cassado.

Anúncios

3 comentários sobre “R$ 300 milhões em doações eleitorais feitos por gente sem renda fixa

  1. Sem moral alguma o TSE,primeiro divulgam uma notícia falsa , depois tentam corrigir.
    Os 75 milhões,era na verdade R$ 75 reais,ouve um erro de digitação.
    Agora é moda,acusa-se primeiro depois investiga.
    Tempos sombrios estes,onde até o judiciário é partidário.

Deixe uma resposta