Linha auxiliar do PT, a Rede, de Marina, derrapa nas eleições

Conforme o Estadão, em sua primeira disputa eleitoral, a Rede Sustentabilidade, legenda criada há um ano pela ex-ministra Marina Silva, não conseguiu se apresentar para o eleitor como uma terceira via diante do acirramento de ânimos entre bolivarianos e republicanos.

Apesar do razoável desempenho de Marina nas últimas duas eleições presidenciais, seu partido apresenta até agora uma performance deprimente em quase todas as capitais onde disputa a prefeitura como cabeça de chapa, talvez por que o público já percebeu que o partido não passa de linha auxiliar do PT.

Levantamento do Estadão Dados – com pesquisas registradas no TSE – mostram que apenas um nome da sigla aparece com chance de vitória. Trata-se do atual prefeito de Macapá, Clecio Luís, que em março deixou o PSOL e migrou para a Rede.

Na mais recente pesquisa Ibope, divulgada no dia 15, ele apareceu na liderança com 27% das intenções de voto. Nas demais nove capitais, a Rede oscila entre traço e 4% nos levantamentos. Os casos mais dramáticos são os de São Paulo e Rio, onde o partido esperava estar entre as candidaturas competitivas.

Anúncios

5 comentários sobre “Linha auxiliar do PT, a Rede, de Marina, derrapa nas eleições

  1. A Marina perdeu a credibilidade ao apoiar a Dilma indo contra o impeachment, todos sabiam que estando contra o impeachment estariam contra a sociedade brasileira, ela resolveu pagar para ver e está vendo.

    1. Cara, mas a Marina declarou abertamente que era à favor do impeachment, assim como a Rede – que inclusive foi uma das autoras da proposta -. Acho que você se confundiu, é só ver por exemplo na page dela no Facebook….

Deixe uma resposta