Moro defendeu Deltan e a equipe da Lava Jato

Um dos pontos mais significativos do despacho emitido nesta terça (20) por Sérgio Moro – transformando Lula e sua turma em réus – é a defesa da contextualização feita pelo MPF sobre o papel de Lula como chefe do petrolão.

A defesa de Lula emitiu a narrativa de que “os procuradores foram excessivos” ao usar Power Point e demonstrar Lula como comandante do esquema criminoso, mesmo que não o tenha denunciado por organização criminosa.

“A omissão encontra justificativa plausível, pois este fato está em apuração perante o Egrégio Supremo Tribunal Federal”, diz Moro.

Como lembra o Antagonista, o juiz explicou ainda que os fatos referentes a Lula “não foram descritos gratuitamente, sendo necessários para a caracterização das vantagens materiais supostamente concedidas pelo Grupo OAS ao ex-presidente como propinas em crimes de corrupção e não meros presentes.”

Anúncios

Deixe uma resposta