Como se afastasse baratas, capacidade de Temer afugentar bolivarianos na ONU conta a favor do presidente

Há muitos anos foi lançado um aparelho chamado Radarcan, que afugentava baratas a partir da emissão de um som inaudível para os seres humanos.

Parece que o presidente Michel Temer adquiriu tal capacidade. A diferença é que, em vez de afastar baratas, ele se tornou capaz de afastar participantes de governos totalitários da América Latina, ou seja, os bolivarianos. Há quem diga que não são muito diferentes de baratas.

Antes de seu pronunciamento na ONU, as delegações de seis países bolivarianos e aliados pró-totalitarismo abandonaram o plenário da Assembléia Geral. As delegações não veem de nações de primeiro mundo e admiradoras dos Direitos Humanos, mas de lugares como Cuba, Venezuela, Costa Rica, Bolívia, Equador e Nicarágua. Ou seja, só barra pesada.

O analista político Alexandre Borges afirmou: “Se Michel Temer tiver mesmo esse poder de espantar bolivarianos, merece o cargo de imperador vitalício do Brasil.”

Anúncios

17 comentários sobre “Como se afastasse baratas, capacidade de Temer afugentar bolivarianos na ONU conta a favor do presidente

    1. Saíram porque ficaram com medo pois poderia haver cobrança em plenário da dívida absurda feita com os amiguinhos da ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA CHAMADA DE PT.

    1. Que bom que esas baratas sairon corriendo o Temer nāo necesita apoio de comunistas, claro se acabou a mamata por isso estāo doidos já nāo tem ajuda fácil.

  1. Não os chamo de baratas, mas sim de sangue suga, o que eles queriam era continuar mamando no Brasil, sugando os recursos que eram pra ser aplicado em diversos setores da sociedade. Quando alguém abandona uma reunião ou assembléia, é porque não tem ouvidos para ouvir, e nem argumento para espor, são como o mar morto, só rebem, não tem nada pra dar.

  2. Essa atitude demonstrou para o mundo que o Brasil mudou o “tema” político e não compactua mais com essa política opressora de direitos da América Latina.

  3. A Uniao das Repúblicas Socialistas da América Latina URSAL unidas pelo fórum de São Paulo seguem lendo a cartilha do atrazo, do comodismo da “Nomenklatura” de Stalim o Koba que fazia o inimigo condenado à morte pedir desculpas em público antes de ser assassinado.

  4. Que vão pra bem longe..paguem o que devem e sumam..não fazem falta e não acrescentam em nada so nosso povo..do contrário..só giram o aue é de direito da nossa gente.

  5. “As delegações não veem de nações de primeiro mundo”… Prezado autor, o verbo vir na terceira pessoa do plural do presente do indicativo escreve-se “vêm”….. A forma colocada refere-se ao verbo “ver”………. Concordo plenamente com o seu texto. Grata.

Deixe uma resposta