Temer desmascara mentiras dos petistas sobre jornadas de trabalho

Como diz o Congresso em Foco, o  presidente Michel Temer voltou a divulgar vídeo, na página do Palácio do Planalto, no qual desmascara mentiras petistas sobre uma “suposta perda de direitos” pelo trabalhador em uma “possível reforma trabalhista”. O vídeo divulgado na noite de ontem (14) reforça refutação feita anteriormente de que seu governo aumentaria a jornada de trabalho para 12 horas por dia.

No vídeo, o presidente critica o fato de terem sido divulgadas fraudes narrativas de que, em uma reunião de natureza sindical, o Ministério do Trabalho teria estabelecido que os trabalhadores teriam de trabalhar 12 horas por dia, de segunda a sábado, com a possibilidade de isso ocorrer também no domingo.

“Essa divulgação se fez de maneira falsa e equivocada. Na verdade a única coisa que se verificou foi a seguinte: o ministro do Trabalho, conversando com alguns sindicalistas, levantou a hipótese de, talvez, se o trabalhador quisesse trabalhar 12 horas por dia, ele trabalharia apenas quatro dias por semana, somando portanto 48 horas semanais, sendo 44 horas normais e quatro horas extras. Mas, com isso, ele [o trabalhador] teria três dias de folgas ou, se quisesse, nesses dois ou três dias, ainda poderia trabalhar em outra empresa, somando salários ao salário que recebe”, afirmou Temer.

Segundo o presidente, o assunto foi “apenas discutido e nada mais que discutido”. “Vamos colocar o pingo no i. Não vamos deixar que isso prospere porque isso cria problema para você que é trabalhador e pode eventualmente receber esse noticiário. Se um dia [a medida] for acolhida pela força dos trabalhadores, será para que o trabalhador trabalhe apenas quatro dias, e não 12 horas por dia durante sete dias”, completou.

No último dia 8, a declaração do ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, de que a reforma poderia formalizar a jornada diária de até 12 horas, foi distorcida intencionalmente pela propaganda petista. No dia seguinte, o Ministério do Trabalho divulgou nota afirmando que não haverá aumento da jornada diária e que as horas trabalhadas por semana (44 no total) não serão alteradas. Nas comemorações dos 50 anos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), o ministro disse que “nunca se cogitou aumentar” a jornada.

Anúncios

2 comentários sobre “Temer desmascara mentiras dos petistas sobre jornadas de trabalho

  1. Mas se eu trabalhar em 2 empregos, estarei extrapolando as 44 horas semanais, assim sendo terei que trabalhar 88 horas semanais, isto infringe a CLT, que diz que são 44 horas semanais. Ou seja, terei que trabalhar mais que 12 horas diárias???!!!…

    1. Bom dia Cleomar, mas veja que a lei defende que o trabalhador trabalhe apenas 44 horas semanais podendo acrescentar apenas 2 horas extras diárias de acordo com o ART 59 da CLT em uma única empresa. Se você for trabalhar em outra empresa a regra será a mesma o que não se pode confundir é associar dois vínculos trabalhistas com a mesma lei porém você não é obrigado a trabalhar em duas empresas mas se for trabalhar e duas empresas a lei será igual em cada empresa e não associando duas jornadas com empresas diferentes.

Deixe uma resposta