Por cuspir, Jean Wyllys é alvo de representação no Conselho de Ética

Como diz o Congresso em Foco, o deputado Jean Wyllys (Psol-RJ) virou alvo de representação no Conselho de Ética em função de uma cusparada dada em Jair Bolsonaro (PSC-SP), durante a sessão de votação do impeachment de Dilma Rousseff, no dia 17 de abril. A decisão foi tomada em reunião da Mesa Diretora nesta terça-feira (13). O caso foi encaminhado ao colegiado no dia seguinte pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Segundo o corregedor da Câmara, Carlos Manato (SD-ES), seis pessoas acionaram o órgão para denunciar o deputado em função do episódio: “Achamos que deveria ir para o Conselho de Ética porque o grau de infração era um grau que, segundo o nosso código de ética, merece uma suspensão de mandato”, disse Manato. Cabe agora ao colegiado avaliar se a suspensão será aplicada e o prazo.

Durante o votação da admissibilidade do impeachment na Câmara, Wyllys, além de chamar Eduardo Cunha de “canalha”, cuspiu em Jair Bolsonaro. Jean Wyllys não se defendeu. Ao contrário, emitiu novos discursos de ataque, dizendo: “O deputado fascista viúva da ditadura me insultou, gritando ‘veado’, ‘queima-rosca’, ‘boiola’ e outras ofensas homofóbicas e tentou agarrar meu braço violentamente na saída”, contou.

Wyllys não apresentou evidências dessas alegações. Enquanto isso, há vídeos mostrando o cuspe dele em Bolsonaro:

 

Anúncios

2 comentários sobre “Por cuspir, Jean Wyllys é alvo de representação no Conselho de Ética

  1. ÊLES que são Brancos que se entendam, assim dizia o meu AVÔ, por mim tinha que ter um jeito de expulsar todos os PARLAMENTARES e convocar uma eleição honesta para eleger outros, para ver se melhora. Atenção: aceitar não candidatura de Políticos de Carreira, ou melhor, que já tenham pisado no Congresso. Dá Oportunidades a outros que São Brasileiros.

Deixe uma resposta