PF indicia Marcelo Odebrecht e petista Fernando Pimentel por esquema de corrupção no BNDES

O governador de Minas Gerais Fernando Pimentel (PT) e o empresário Marcelo Odebrecht foram indiciados pela Polícia Federal por participação no esquema de corrupção em esquema operado no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Por meio do esquema, empréstimos eram liberados de maneira irregular à empreiteira. As conclusões estão nas investigações da Operação Acrônimo, da Polícia Federal.

Fernando Pimentel foi ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio de 2011 a 2014, durante o primeiro mandato de Dilma Rousseff. Pimentel comandava justamente o ministério que abriga o BNDES, utilizado durante os anos de governo petista para financiar ditaduras bolivarianas por meio de grandes obras realizadas por empreiteiras brasileiras.

Graças ao financiamento facilitado pelo PT, a Odebrecht e agentes políticos financiavam projetos em países como Angola, Cuba, Panamá e República Dominicana. Mais cedo, a PF deflagrou a nona fase da Operação Acrônimo. Segundo os investigadores, objetivo dessa fase é recolher elementos para “esclarecer a atuação de uma organização criminosa especializada na obtenção de benefícios junto ao governo federal por meio de pagamento de vantagens indevidas a agentes públicos”. A PF cumpriu 20 mandatos de prisão, 11 de condução coercitiva e 9 de busca e apreensão em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal.

Anúncios

Deixe uma resposta