Projeto Caras Novas, do MBL, desafia o discurso fascista de negação da política

No vídeo que segue ao final deste post, Kim Kataguiri, ativista do MBL (Movimento Brasil Livre), fala do programa Caras Novas, que estabelece um modelo de atuação do movimento em relação a políticos selecionados (ou mesmo de pessoas aspirando a cargos políticos), de acordo com vários critérios, entre os quais o alinhamento em relação a pautas em prol da liberdade.

O anúncio vem em um momento no qual o movimento tem sido cada vez mais perseguido por fascistas – especialmente aqueles vindos da extrema-esquerda, onde se encontram em maior quantidade -, que se revoltam com a atuação do MBL junto a partidos políticos.

A negação à participação política – ou mesmo a perseguição de pessoas que participem da política – é uma das principais metas do fascismo.

Iniciativas como a “Caras Novas” podem ajudar a refrear um pouco o ímpeto autoritário daqueles que se revoltam com a participação política dos outros.

Anúncios

2 comentários sobre “Projeto Caras Novas, do MBL, desafia o discurso fascista de negação da política

Deixe uma resposta