Números da Cantareira mostram que PT mentiu sobre a escassez de água durante eleições de 2014

No início da semana, foi anunciado que o sistema Cantareira havia voltado ao mesmo nível registrado antes do início da crise hídrica. O reservatório hídrico localizado na Grande São Paulo foi o grande trunfo do Partido dos Trabalhadores durante a campanha de 2014, considerada a mais suja da história.

O Partido dos Trabalhadores mentiu sobre a escassez de água durante toda a campanha. Segundo a narrativa petista veiculada nas propagandas produzidas por João Santana, a água iria acabar por conta da gestão tucana. Partidarizando a seca histórica que também se abateu em estados como Rio de Janeiro, Paraná e Rio de Janeiro, o PT tentou vencer as eleições acusando seus adversários de serem responsáveis pela crise.

Em um dos pontos altos da campanha, a então candidata a reeleição presidencial Dilma Rousseff ironizou os problemas enfrentados pelos paulistas afirmando que “São Paulo deveria criar o programa Meu Banho, Minha Vida”, incentivando pessoas de outros estados a usarem a crise paulista como motivo de chacota por meio de mensagens cada vez mais raivosas.

O candidato ao governo paulista pelo PT também não poupou esforços: Alexandre Padilha, garantiu que a água acabaria em 48 dias. A falsa previsão foi divulgada a exaustão no rádio, internet e televisão. No entanto, a previsão não se confirmou. Ainda no final de 2015, os níveis começaram a se estabilizar. A crise foi contornada no final daquele ano, até que o sistema Cantareira voltasse aos números pré-crise.

Anúncios

Deixe uma resposta