Vexame: em reunião quase vazia, Vanessa Grazziotin diz que “sua turma é de muitos”

A senadora Vanessa Grazziotin tem protagonizado diversos vexames e fiascos desde o começo do processo do impeachment. O mais recente foi uma postagem em seu Twitter onde a comunista diz que “a turma de Dilma é composta por muitos”.

Nas fotos postadas pela representante da bancada da chupeta, há uma pequena reunião no que parece ser uma sala de aula. No grupo que não congrega nem 30 pessoas, estão presentes o presidente do PDT Carlos Lupi e o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra José Stédile.

As fotos mostram cadeiras dispostas em um círculo, o que deixa mais nítido o baixo quórum da reunião. A internet não perdoou, e a senadora virou motivo de chacota.

Anúncios

Um comentário sobre “Vexame: em reunião quase vazia, Vanessa Grazziotin diz que “sua turma é de muitos”

  1. Pobre alma que faz parte do inferno. O comunismo é uma escravidão, é a noite da tortura de uma Nação. É o sistema de negação, é o próprio NEGATIVISMO. Exemplo atual de senzala comunista: CUBA. Fidel Castro ditador sanguinário, ídolo dos pervertidos, degenerados e terroristas. O comunismo, ou sua antesala, o socialismo de todos os matizes, nega a existência de Deus, ou seja, é o regime do ateísmo oficializado e permanente, embora para fins diplomáticos, aparente tolerância religiosa. Mentira deslavada, o exemplo, entre muitos, é a perseguição movida pela China Comunista contra os monges tibetanos, sua religião e o líder espiritual, o Dalai Lama. O comunismo nega o direito de propriedade, é o regime dos SEM NADA, tudo tem que ser do Estado, eliminando dessa forma um Direito Natural da pessoa humana. No seio do Estado comunista, ao invés do paraíso terrestre prometido ao proletariado, nasce uma nova classe que é a burocracia política, produto da federação formada entre o partido, a policia política e a cúpula sindical. O comunismo nega a liberdade, impondo a ferro e fogo o jugo da Ditadura cruel e sanguinária do Partido, que é também Policia e Judiciário, para tanto fuzila e extermina as principais figuras existentes em uma sociedade livre: o líder religioso, o jornalista livre, o advogado livre, que é substituído pelo grotesco procurador do Estado, o comerciante honesto e o professor que não pertence aos quadros do Partido, colocando em seus lugares, títeres, fantoches, simuladores e outros seres servis, submissos e subalternos. Enfim, o comunismo antes de tomar o poder prega a liberdade e a igualdade, porém faz exatamente o contrário, destrói a liberdade e aprofunda os fossos da desigualdade.
    A Senadora faz parte disto, acredita nisto, vive isto e morrerá nisto. Depois…bem depois é outra vida.

Deixe uma resposta