Fugindo de vaias, Pimentel entregará Medalha JK para acusado de bancar luxos da primeira-dama a portas fechadas

O governador petista de Minas Gerais Fernando Pimentel entregará a Medalha Juscelino Kubistchek a Otílio Prado, acusado pela força tarefa da Operação Acrônimo de ter pago despesas pessoais da primeira-dama Carolina Pimentel e do próprio governador.

A Operação Acrônimo investiga um esquema de propinas, desvios e lavagem de dinheiro com fins diversos, incluindo favorecimento de empresários e financiamento ilegal de campanha. O esquema envolve diretamente o governador e sua esposa Carolina, além de ter beneficiado também a ex-presidente Dilma Rousseff, segundo delação do empresário Benedito Oliveira. Conhecido como Bené, Oliveira é braço direito do governador petista.

Para evitar as vaias, o petista irá promover a entrega das medalhas em um batalhão da Polícia Militar mineira mantido em segredo. Desta forma ele resolve também o problema do público, que não poderá adentrar um prédio da PM. Na última entrega de medalhas, Pimentel condecorou o líder do MST José Stédile e o Presidente do STF Ricardo Lewandowski. As condecorações causaram revolta e tumulto no dia da entrega das medalhas, já que a JK é a considerada a mais importante condecoração do estado de Minas.

Anúncios

2 comentários sobre “Fugindo de vaias, Pimentel entregará Medalha JK para acusado de bancar luxos da primeira-dama a portas fechadas

Deixe uma resposta