Rombo de R$ 50 bilhões no escândalo dos fundos de pensão é legado macabro do PT

A prova de que o governo petista foi um regime de cleptocracia formalizada é que, em qualquer lugar, quando a polícia mexe, alguma coisa de errado ela encontra. Não há um só pedaço do governo ao alcance do regime bolivariano do PT que não tenha sido surrupiado.

Até o momento, investigadores da Operação Greenfield apuraram um rombo de pelo menos R$ 50 bilhões nos fundos de pensão, e mais uma quantia de R$ 8 bilhões em desvios. A Polícia Federal ainda está investigando.

O governo federal simplesmente utilizou-se dos fundos de pensão como se fossem empresas suas. E pior: utilizou-os como fonte de renda para o partido e cabides de emprego, razão pela qual Léo Pinheiro e João Vaccari Neto são novamente investigados.

Anúncios

6 comentários sobre “Rombo de R$ 50 bilhões no escândalo dos fundos de pensão é legado macabro do PT

  1. E os ptralhas, ainda querem defender este vagabundo dizendo que não tem provas contra o coitadinho!!! Façam-me o favor né, vcs são mais safados do que ele!!!

  2. Se começar fuçar muito a polícia vai encontrar algum pais comprado pelo PT pra fazer uma nação independente pois nunca ví tanto desvio de dinheiro na história desta nação, o ladrõeszinhos lisos. Também governando o Pais por tanto tempo!

  3. Eu estou incluida nesse 1,5. Pois sou aposentada dos Correiis es estou pagando pelo roubo, esse já é o segundo mês q descontam na minha aposentadoria mais de dezessete por cento. Estou revoltada , indignada em pagar pelo roubo q eu não fiz. Só no Brasil acontece isso pq não se cumpre as leis, elas foram feitas só pra beneficiar eles próprios.

    1. Minha querida colega de trabalho, todos nós aposentados, pensionistas e os associados contribuintes da ativa estão pagando e pagará, quem vive
      r até lá por 23 anos

  4. E as pessoas horrorizando com a novela das 21 horas da Globo que retrata o crime organizado. Pior organização criminosa que já existiu. e ainda tem gente que defende esse sujeito e seus comparsas

Deixe uma resposta