Lilian Tintori: “Sinto que podem matar Leopoldo”

Em entrevista à Veja, Lilian Tintori – esposa de Leopoldo López, um dos mais de oitenta presos políticos da Venezuela – comentou sobre a perseguição política cometida por Nicolas Maduro: “A perseguição se intensificou em 2014, quando Leopoldo fez um chamado aos venezuelanos para despertar a consciência e para lutar por seus direitos. Ele queria buscar uma saída para essa crise que fosse constitucional, pacífica, democrática e pela via eleitoral.”

Essa não foi a primeira vez que eles foram vítimas de represálias: “O Leopoldo foi inabilitado politicamente em 2008, quando era prefeito do município de Chacao, em Caracas. Meus sogros também foram perseguidos judicialmente em 2009. Isso não é novo. Mas as coisas foram piorando com o tempo. Hoje Leopoldo é um perseguido político, tão perseguido que o colocaram preso em uma prisão militar. Ele está totalmente isolado. Está ilhado e solitário em uma torre, completamente sozinho.”
O casal se comunica apenas durante os horários de visita. No resto da semana, Lopez não pode nem ligar para os familiares. Nas visitas à prisão, Lilian é obrigada a se submeter a uma revista corporal vexatória: “Eles me despem completamente, me mandam rodopiar, me mandam abrir as pernas. A última durou 15 minutos, foi muito longa. Tanto na visita familiar quanto quando vou com os advogados, eles nos olham feio e fazem tudo lentamente. É pavoroso.” Em uma cela pequena, Leopoldo é vítima de constantes torturas psicológica e ameaças e morte.
Lilian sente que eles podem matar seu marido a qualquer momento: “Sinto que podem matar Leopoldo. Sinto que a vida do meu marido está em perigo, que em qualquer momento eles vão me chamar e me dar a notícia de que o assassinaram. Esse é um governo criminoso, que não respeita os direitos humanos. Não há na Venezuela um Estado de Direito. O governo só buscar intimidar, perseguir e colocar medo, muito medo, em todo mundo. O objetivo deles é que eu me paralise, mas eu não vou deixar. Estou lutando por amor, pela minha família, pelo meu marido, por meus filhos, ninguém vai parar essa luta. E o amor é muito grande, o amor a Leopoldo, o amor a meu país, o amor a meus filhos. Não vou parar. Se nos perseguem, se nos intimidam, com mais força vou revidar, e o tenho feito por dois anos e meio. O país inteiro está conosco.”
Anúncios

6 comentários sobre “Lilian Tintori: “Sinto que podem matar Leopoldo”

  1. Continue gritando e comunicando as injustiças da Venezuela para o mundo ! É forma de ajudar seu país e protejer a vc e sua família !

Deixe uma resposta