Golpe do fatiamento foi tramado Dilma, Renan e aliados

Reportagem do jornal Estado de São Paulo revela detalhes sobre o golpe parlamentar que fatiou a pena da presidente cassada Dilma Rousseff e manteve seus direitos políticos. O golpe foi tramado por Renan Calheiros, Dilma Rousseff, José Eduardo Cardozo e Katia Abreu. O presidente do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski teria conhecimento da manobra, e não interferiu.

A manobra golpista que permite a Dilma exercer função pública abre precedentes perigosos: beneficia políticos ameaçados de cassação, como o deputado afastado Eduardo Cunha e os senadores Gleisi Hoffmann e Lindbergh Farias, além do próprio Renan Calheiros.

O golpe ainda contou com um episódio de farsa nos instantes finais: enquanto ainda votavam, Lindbergh repetiu o discurso proferido por Tancredo Neves no dia seguinte ao golpe de 1964: “Canalhas, canalhas, canalhas”, gritou o petista para os senadores. Mas era fingimento, já que ele próprio fazia parte do conluio para salvar Dilma da perda de direitos políticos. O atentado a Constituição contra o impeachment está sendo questionado por dezenas de mandatos de segurança no Supremo Tribunal Federal.

Anúncios

Um comentário sobre “Golpe do fatiamento foi tramado Dilma, Renan e aliados

  1. ADPF ou MANDADO DE SEGURANÇA, tanto faz o remédio jurídico para combater tamanha heresia. Fica difícil para milhares e milhares de Professores Universitários por esse Brasil afora, explicarem para seus alunos o que é um Mandamento Constitucional.Depois deste flagrante de desobediência constitucional que acabamos de presenciar que os Senadores paus mandados do Renan Calheiros nos fizeram engolir goela abaixo. Espero sinceramente que o STF corrija essa loucura, e para isso basta se comportar apenas e tão somente como uma Corte Jurídica e não só política como vem sendo até agora. É LAMENTÁVEL UM BRASIL SEM SEGURANÇA JURÍDICA. HÉLIO de Curitiba.

Deixe uma resposta