Ditaduras que “ficaram de mal” após impeachment nos devem mais de R$ 20 bi

Após o impeachment da golpista Dilma, o Brasil vive uma situação esperada nas relações internacionais: nações civilizadas como os Estados Unidos e aquelas da Europa reconheceram a legitimidade do processo legal de impeachment e vão ampliar os negócios com a gente. Já as ditaduras bolivarianas fizeram beicinho, pois mantinham grande “amizade” com os governos Lula e Dilma.

Por exemplo, nações ditatoriais como Cuba, Venezuela, Equador e Bolívia retiraram seus embaixadores do Brasil para dizer que “ficaram de mal”. Mas parece que o “amor” deles não era pelo PT, mas pelas verbas do BNDES.

Como lembra o site Spotniks, através do BNDES, Lula e Chávez formaram uma parceria em uma espécie de imperialismo bolivariano. Veja que mesmo com o calote dado pela estatal venezuelana de petróleo, PDVSA, na construção da refinaria Abreu e Lima em Pernambuco, partiu do governo brasileiro o apoio à concessão de aproximadamente R$ 33 bilhões para apenas 5 países (Cuba, Venezuela, Argentina, Angola e Nicarágua). Destes, apenas a Argentina, sob novo governo, reconheceu a posse de Michel Temer e o impeachment da golpista Dilma como constitucionalmente válidos.

O Spotniks ainda lembra que dos R$ 50,5 bilhões totais emprestados pelo BNDES para outros países entre 2006 e 2014, cerca de metade foi destinado a países que hoje cortaram relações com o Brasil. Deste valor, 82% teve uma única empresa como responsável pela realização das obras: a empreiteira Odebrecht.

Outras dívidas destas ditaduras com o Brasil incluem: Venezuela (R$ 11,5 bilhões), tendo como principais obras recebidas as linhas 3 e 4 do Metrô de Caracas, a capital do país, feita pela Odebrecht ao custo de US$ 732 milhões; Nicarágua (R$ 4 bilhões), tendo como obra principal a Hidrelétrica de Tumarín, erguida pela Queiroz Galvão, no valor de US$ 343 milhões; Cuba (R$ 3,5 bilhões), que recebeu, dentre outras construções, o Porto de Mariel, feito pela Odebrecht por US$ 682 milhões; e Equador (R$ 750 milhões), que ganhou a Hidrelétrica de Mandiracu, por, de novo, Odebrecht, custando  US$ 90 milhões.

Pode-se dizer que esse “corte de relações” tem cheiro de calote, que talvez fosse até mais provável caso a golpista Dilma permanecesse no poder.

Anúncios

7 comentários sobre “Ditaduras que “ficaram de mal” após impeachment nos devem mais de R$ 20 bi

  1. Lugar de bandido todos nós sabemos que é na cadeia, neste caso o prejuízo é certo, mais é melhor que te-los como aliados, já tá mais que provado que parceria com esses ordinários não teria como ser diferente. Pra frente Brasil, somos muito melhor.

  2. Chegou a hora de demitir os diplomatas bolivarianos do Itamaratí, aceitar o corte de relações com a Venezuela, obrigar o índio cocaleiro a indenizar a Petrobrás expropriando o gasoduto da Bolívia que passa pelo território brasileiro e cobrando uma taxa gorda por metro cúbico fornecido à Argentina, retomando todo o equipamento do nosso Porto de Mariel, repatriando todos os “médicos” cubanos, após submetê-los ao REVALIDA, cobrar taxas internacionais pelo uso do porto, dar um pontapé na bunda dos ditadores da Nicarágua, Equador e republiquetas africanas, envidando todos os esforços e submetendo aos tribunais internacionais a cobrança dos 50 bilhões que nos devem.
    Desaparelhar, mediante faxina exemplar, todas as repartições públicas do executivo, legislativo e judiciário, dando outro chute na bunda dos pelegos petistas que estejam a serviço, sem concurso público!

    1. Monte de informações LIXO, nada tem fonte confiável, um verdadeiro besterol sem tamanho, se “as ditaduras” estivessem devendo não se teria a seguinte notícia:
      Bolívia e Brasil fecham parceria de US$ 1,2 bilhão para exploração de gás em 07/11/2016 (governo Temer)
      http://economia.uol.com.br/noticias/efe/2016/11/07/bolivia-e-brasil-fecham-parceria-de-us-12-bilhao-para-exploracao-de-gas.htm
      A notícia é tão lixo que nem o nome do site que se referem como fonte está certo.

  3. Monte de informações LIXO, nada tem fonte confiável, um verdadeiro besterol sem tamanho, se “as ditaduras” estivessem devendo não se teria a seguinte notícia:
    Bolívia e Brasil fecham parceria de US$ 1,2 bilhão para exploração de gás em 07/11/2016 (governo Temer)
    http://economia.uol.com.br/noticias/efe/2016/11/07/bolivia-e-brasil-fecham-parceria-de-us-12-bilhao-para-exploracao-de-gas.htm
    A notícia é tão lixo que nem o nome do site que se referem como fonte está certo.

Deixe uma resposta