Cuba quer ganhar 30% a mais por escravização de médicos

Atualmente, cerca de 7 mil médicos cubanos atuam no Brasil por meio do programa Mais Médicos. No momento, o governo cubano exige do Brasil um reajuste no valor pago “aos médicos”. Entre aspas, mesmo, pois o pagamento não é feito aos profissionais, e sim ao governo de Cuba. Deste dinheiro, pouco ou nada realmente vai para os médicos, estes trabalham em regime análogo à escravidão.

Raul Castro quer, no momento, um reajuste de 30% no valor pago por cada médico enviado ao Brasil. O Ministério da Saúde, no entanto, quer oferecer 10% de aumento e a correção da inflação a partir do ano que vem. Hoje Cuba recebe cerca de R$ 10 mil mensais por cada médico, o que é um valor bem acima do custo normal destes profissionais.

Há algumas semanas, houve a discussão sobre o fim do programa no Brasil. Cuba chegou a cogitar que os médicos voltassem ao país após a saída de Dilma, de quem o ditador Raúl Castro é aliado. No entanto, devido a demanda e a precariedade do SUS, o Ministério da Saúde está tentando manter o programa por mais algum tempo.

Anúncios

Deixe uma resposta