Nova complicação para Dilma: a doação suspeita de uma cervejaria

De acordo com o Diário do Poder, investigadores da Lava Jato estão de olho em uma operação envolvendo a presidente afastada Dilma Rousseff, que teria participado ativamente da operação que garantiu uma “doação” de R$ 17 milhões do Grupo Petrópolis (que produz a cerveja Itaipava) para sua campanha, em 2014.

Numa moleza, o grupo obteve empréstimo de R$ 830 milhões do Banco do Nordeste (BNB). O caso pode complicar as vidas do ex-ministro Edinho Silva e do ex-presidente do BNB Nelson de Sousa. 

Nelson de Sousa, ex-BNB, com experiência significativa no setor financeiro, é atual vice-presidente de Habitação da Caixa Econômica.

Surgem indícios de que também as campanhas estaduais de Wellington Dias (PI) e Rui Costa (BA) foram abastecidas pela cervejaria.

Anúncios

7 comentários sobre “Nova complicação para Dilma: a doação suspeita de uma cervejaria

    1. Senhora Maria das Graças. Interprete sua afirmação. Se a senhora Não elege ninguém é porque elege alguém. A senhora creio queira dizer para eleger ninguém.

Deixe uma resposta