Haddad mente sobre processo eleitoral e diz que Temer “não teve votos”

Candidato à reeleição nas eleições municipais de outubro, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, usou uma parte de seu discurso de campanha para mentir sobre o processo eleitoral de 2014 no intuito de atacar Michel Temer, conforme aponta a Jovem Pan.

Inicialmente, Haddad disse que “tirar uma presidente da República não é pouca coisa”.  Até aí tudo bem, mas ele seguiu dizendo que Temer está na presidência sem ter recebido um voto.

Essa é uma flagrante mentira, dado que a legislação eleitoral brasileira daquele ano não previa votação em um candidato, mas em uma chapa, composta de um candidato à presidência e um vice-presidente. O eleitor não tem como votar em apenas um, mas na chapa. Logo, quem votou em Dilma, votou em Temer, que tem todos os mesmos 54 milhões de votos que a presidente afastada. Todas as eleições desde a redemocratização são baseadas em chapas, não em candidatos individuais.

Haddad não deu argumentos que sustentassem a anulação das regras eleitorais que permitiram que a chapa Dilma-Temer fosse eleita. Ele também não falou, por exemplo, que sua vice prefeita, Nadia Campeão, é alguém “sem votos”.

Anúncios

Deixe uma resposta