Para salvar Lula, PT ignora Dilma em campanha de difamação internacional do Brasil

O PT deu início a uma campanha internacional em que acusa todas as instituições brasileiras de estarem envolvidas em um complô contra o ex-presidente Lula e o Partido dos Trabalhadores. O partido lançou uma cartilha em quatro idiomas: português, inglês, francês e espanhol.

Ao longo do texto em que o PT acusa as instituições brasileiras de envolvimento em uma suposta farsa judicial, pouco destaque se dá ao impeachment da presidente Dilma. Para o PT, Dilma é uma figura completamente dispensável: o que importa é o ex-presidente Lula. Isso explica a postura do partido nos últimos dois meses, em que Dilma foi descartada a ponto de ser desmentida e abandonada quase que publicamente por figuras como Lula, Rui Falcão e

A cartilha também mente ao dizer que Lula ainda não é réu, sendo que o petista já foi formalmente acusado de obstrução da Justiça no caso que envolve o plano de fuga de Nestor Cerveró. Junto com Lula, foram indiciados o dono do UOL André Esteves, o ex-senador Delcídio Amaral e o ministro do STJ Marcelo Navarro Dantas.

Em um dos trechos, o texto diz que “agentes partidarizados do Estado, no Ministério Público, na Polícia Federal, e no Poder Judiciário, mobilizaram-se com objetivo de encontrar um crime – qualquer um – para acusar Lula e levá-lo aos tribunais.” O ponto é no mínimo contraditório, já que 8 dos 11 membros do STF foram nomeados por presidentes petistas – Dilma e Lula. Não só o STF: o PT também fez nomeações no STJ, na PGR e na Polícia Federal.

A tentativa da carta é desacreditar as instituições, assim como fez a defesa de Lula ao denunciar Sérgio Moro no Comitê de Direitos Humanos da ONU. A intenção é retratar o partido como vítima não para as instituições jurídicas, que já reconheceram a legitimidade dos processos da Operação Lava Jato e do impeachment. O que se pretende é criar comoção entre os formadores de opinião da mídia e das esquerdas internacionais. Isso pode levar o país a descrédito internacional por supostamente não respeitar a democracia. O partido pretende colher dividendos políticos com o agravamento da crise e com o descrédito do país. Nessa tentativa, acaba ofendendo o Congresso Nacional e todo o Judiciário.

 

Anúncios

Deixe uma resposta