Janaína rebate truque vitimista de Dilma: “Luto por tratamentos iguais”

A presidente afastada Dilma Rousseff, já sem nenhum argumento minimamente racional para se defender, voltou a dizer que o processo de impeachment é movido por um “sentimento misógino”. No entanto nada explica como é que as mesmas pessoas que hoje a querem fora do cargo – o povo – tempos atrás a elegeram, apesar de ela ser mulher.

A doutora Janaína Paschoal, uma das principais figuras na luta pelo impeachment, esclareceu sua visão sobre o assunto:

“Não foi fácil decidir pedir o impeachment de uma mulher. Eu confesso! Já temos tantas dificuldades para ascender… Passei várias noites, pensando que triste ser justamente eu a tomar a iniciativa de impedir a primeira mulher Presidente. Ao cabo dessas reflexões, eu conclui o seguinte: ninguém pode ser perseguido por ser mulher; por outro lado, ninguém pode ser protegido por ser mulher. Se a Presidente fosse homem, eu pediria o impedimento; ora, não seria justo deixar de fazê-lo, pelo simples fato de ela ser mulher. Contrariamente ao que vem sendo propalado, este impeachment é feminista! Estou lutando por tratamentos iguais, em todos os sentidos.”

Anúncios

2 comentários sobre “Janaína rebate truque vitimista de Dilma: “Luto por tratamentos iguais”

  1. Janaina é a prova de que esse argumento usado pela esquerda burra não tem fundamento.Seja homem ou mulher, o que vale é o caráter, capacidade e competência para exercer qualquer cargo.

Deixe uma resposta