Adversários detonam proposta de Haddad sobre a criação de emissoras de TV e rádio municipais

O deputado Celso Russomanno (PRB) e o empresário João Doria (PSDB) criticaram a proposta do prefeito e candidato à reeleição na disputa em São Paulo, Fernando Haddad (PT), de criar um Conselho Municipal de Comunicação e instituir uma TV e uma rádio municipais. Para ambos os adversários (que também são profissionais da área de comunicação), a ideia figura que no Plano de Governo do candidato é absurda, impropria e irresponsável.

Haddad alega no texto do plano de governo que a função das emissoras será o “enfrentamento à concentração da mídia nas mãos de grupos privados”, e que seu principal papel seria a “democratização da informação”, replicando a mesma justificativa apresentada pelo Partido dos Trabalhadores para a manutenção dos ditos blogs sujos durante os governos Lula e Dilma.

Para Doria e Russomanno, a proposta de Haddad é “inoportuna”, já que implica na criação de mais despesas no momento em que a Prefeitura passa por aperto em seus cofres. Os candidatos também se mostraram céticos quanto a intenção de “democratização da mídia. “Não é preciso isso para garantir educação de gênero e promoção de direitos humanos”, disse Doria. Para o tucano, criar uma TV e uma rádio públicas, neste momento, “soa até como uma brincadeira”. “Não posso acreditar como uma pessoa como o prefeito Fernando Haddad possa defender uma ideia como essa numa situação atual, onde a Prefeitura tem que economizar recursos e otimizar ações, e não criar empresas públicas.”

“O governo Lula criou uma estatal de comunicação que consumiu uma fortuna de dinheiro e não se produziu nada. A EBC só produziu despesa e emprego para partidários do PT e apadrinhados”, citando o exemplo de fracasso da Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Dória é dono de empresas de comunicação, e se classificou a proposta de Haddad como risível.

Já Russomano, que é apresentador de TV, disse que a Prefeitura tem outras opções para investir se de fato quiser investir na democratização da informação. “Acho desnecessário investir alto em algo que pode não dar retorno”. Ele lembrou o caso da TV Cultura, que apesar da qualidade da programação carece de retorno financeiro por ser de natureza pública, o que atrapalha a gestão. Haddad não comentou as críticas dos adversários.

Anúncios

Um comentário sobre “Adversários detonam proposta de Haddad sobre a criação de emissoras de TV e rádio municipais

  1. Eles querem essa emissora pública, para servir de cabide de emprego para sua patuléia, e para fazer defesa antidemocrática de sua doutrina bolivariana!

Deixe uma resposta