Sobre falso plebiscito, Janaína diz que “na Venezuela, a ditadura se disfarça de democracia direta”

Segundo matéria de Janaína Paschoal para o Senso Incomum, a advogada responsável pelo pedido de impeachment mostra a incoerência contida na carta divulgada por Dilma nesta terça-feira (16).

De início ela diz entender que a carta deve ser lida “como exercício do pleno direito a manifestação, que todo ser humano tem. Entendo que a carta deve ser lida a luz do princípio jurídico segundo o qual ninguém está obrigado a fazer prova contra si mesmo.”

Janaína diz: “Por óbvio, não concordo com as considerações referentes a suposta falta de crimes. Reitero que qualquer tipo de antecipação das eleições, ainda que sob consulta popular, fere a ordem constitucional. A esse respeito, cumpre lembrar que, na Venezuela, a ditadura se disfarça de democracia direta.”

Obviamente, o impeachment não encerra a luta contra a corrupção. Janaína prossegue: “Concordo que precisaremos fazer muitas mudanças. Como tenho dito, estamos em um grande processo de depuração, o impeachment constitui apenas uma parte desse processo.”

Anúncios

Um comentário sobre “Sobre falso plebiscito, Janaína diz que “na Venezuela, a ditadura se disfarça de democracia direta”

  1. Como a vida é contraditória…enqto mulher fico indignada pela ignorância, incompetência, etc…da nossa primeira presidente mulher. Mas por outro lado qta satisfação q tenho de ver a Dra Janaína falar..q clareza expõe as suas idéia, q firmeza nas suas palavras.. Qta sabedoria!!! Q nos mulheres tenhamos a garra, a determinação e espalhemos muitas Janaínas por esse imenso Brasil!!!

Deixe uma resposta