Grupos bolivarianos da Venezuela pretendem reforçar protestos pró-PT no dia da votação final do impeachment

De acordo com informações da Coluna Esplanada, os órgãos de inteligência do Governo Federal detectaram que os movimentos sociais alinhados ao PT e à presidente afastada Dilma Rousseff contarão com reforço internacional para os protestos do dia da votação do impeachment, no fim de agosto: segundo as informações, caravanas venezuelanas compostas por movimentos ligados ao ditador Nicolas Maduro virão apoiar os petistas.

Os chavistas pretendem aproveitar a ocasião para protestar contra a diplomacia brasileira. Eles pretendem se concentrar em frente ao Palácio do Itamaraty, já que o atual chanceler José Serra se colocou claramente como inimigo do bolivarianismo ao negar a possibilidade da Venezuela comandar o Mercosul. Eles se juntarão ao MST, CUT, Contag, CTB, MTST, Juntos e Levante Popular da Juventude.

Pelo que se sabe, é vedada a participação de estrangeiros em atos políticos nacionais. Colaborar com estrangeiros contra o próprio governo também pode ser considerado crime principalmente se houver dinheiro envolvido. Apesar de enfraquecidos, os grupos de extrema-esquerda pretendem reunir até 60 mil pessoas na Esplanada dos Ministérios no dia da votação final do impeachment.

 

 

Anúncios

Deixe uma resposta