Após impeachment, PT deve chutar Dilma

Durante a semana, o ex-presidente Lula tomou parte de uma reunião com deputados e senadores do PT a fim de tratar o destino da agremiação, cada vez mais afetada por denúncias de corrupção. Ultimamente, o clima é de varredura de cacos, principalmente após o desgaste na briga para tentar reverter o impeachment de Dilma. De acordo com interlocutores que participaram da reunião, o clima beirava a depressão, sem espaço para piadinhas e nem momentos desconstraídos.

Boa parte da reunião teria sido dedicada a tratar do estorvo que atende por Dilma. O “fator Dilma” foi considerado como responsável pelo anúncio de vários integrantes da legenda de deixá-la após o término da crise do impeachment no intuito de preservar suas carreiras políticas. Parece que na reunião ninguém quis apontar o dedo para Lula, talvez mais por uma mistura de temor e reverência do que apego aos fatos. Especialmente por isso, Dilma não foi nem um pouco poupada.

A presidente afastada ainda pode causar mais problemas ao partido por tentar transferir a responsabilidade pelo uso de dinheiro roubado da Petrobras na campanha. Muitos temem o que Dilma é capaz de fazer para tentar proteger sua própria biografia, o que, convenhamos, já é algo praticamente impossível. Suspeita-se que Dilma não suportaria ir para a prisão e dispararia acusações para todos os lados petistas.

Mesmo com todos esses temores, o PT já estaria estudando expulsar Dilma do partido após a conclusão do processo de impeachment.

Anúncios

Deixe uma resposta