Se continuar fugindo da polícia, Marisa poderá sofrer condução coercitiva

Em atitude de afronta (e fuga), a esposa do ex-presidente Lula, Marisa Letícia, já disse – através de petição enviada à Polícia Federal – que vai ficar calada durante seu depoimento. Com isso, ela alega que seu deslocamento para Curitiba ou qualquer outro local para depor “se mostra inútil”. Em termos técnicos, ela está simplesmente desafiando a Justiça. Mesma atitude foi tomada pelo filho de Lula.

Em resposta à Marisa, o delegado da PF, Márcio Anselmo, disse nesta sexta-feira (12) que vai ignorar a petição de Marisa. Anselmo decidiu manter os depoimentos de Marisa e do filho de Lula.

Ainda por cima, o delegado comentou a postura dos familiares do ex-presidente: “Lamentável posição por parte dos referidos que, além de serem críticos da condução coercitiva, cuja validade já fora reconhecida no julgamento do HC 107.644 sob relatoria do ministro Ricardo Lewandowski, julgado em 06/09/2011, apesar de sempre terem alegado estarem à disposição das autoridades para esclarecimento dos fatos, quando intimados buscam evitar comparecimento, notadamente diante de tantos fatos serem esclarecidos pelos ora peticionantes”.

Na mesma manifestação, o delegado deixa bem claro que se Marisa continuar teimando em não comparecer para depor no dia e horário marcados, estará sujeita à aplicação das mesmas medidas judiciais aplicadas ao ex-presidente Lula, quando este foi alvo de um mandado de condução coercitiva e foi conduzido por agentes da PF para prestar depoimento, após escapar várias vezes dos oficiais de justiça.

Anúncios

4 comentários sobre “Se continuar fugindo da polícia, Marisa poderá sofrer condução coercitiva

  1. So nao entendo o pq de “tamanha” desobediencia se “Sao” inocente. Sera que as Leis so funciona para os POBRES? PQ ate o momento nada aconteceu com o Maior CORRUPTO deste Planeta?

  2. PF e outras autoridades dizem possuir elementos que permitem a prisão do Lula e etc.no entanto nada acontece.Porque será?medo de que?ora já encheu esse lero-lero.

Deixe uma resposta