Socialista Sanders, que defendeu Maduro, agora defende Dilma

O texto abaixo foi retirado do site oficial do senador Bernie Sanders, que foi concorrente de Hillary Clinton pela vaga no partido Democrata.

“Estou profundamente preocupado com o tentativas de remover a presidente democraticamente eleita do Brasil, Dilma Rousseff. Para muitos brasileiros e observadores do processo de impeachment controverso mais se assemelha a um golpe de Estado.”

Na realidade, Sanders está apenas reproduzindo aquilo que os poucos aliados estrangeiros de Dilma repetem. O senador americano não conhece a realidade brasileira, nem mesmo tem qualquer conhecimento sobre a nossa legislação.

“Depois de suspender a primeira mulher presidente do Brasil por razões duvidosas, sem um mandato para governar, o novo governo interino aboliu os ministérios de mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos. Eles foram substituídos por  um gabinete composto inteiramente de homens brancos”, disse Sanders, que é homem e branco.

“O esforço para remover a presidente Dilma Rousseff não é um julgamento legal, mas político. Os Estados Unidos não podem se manter em silêncio enquanto as instituições democráticas de um dos nossos aliados mais importantes são prejudicadas. Temos de  apoiar as famílias trabalhadoras do Brasil e procurar que as diferenças sejam resolvidas com eleições democráticas”, disse.

O senador Democrata, de fato, está delirando. Qualquer brasileiro – e nem precisa ser alguém envolvido com política – sabe que há razões de sobra para remover Dilma Rousseff da presidência, não é à toa que milhões tenham ido às ruas para pedir justamente isso nos últimos dois anos. O impeachment, além de ter embasamento jurídico, tem apoio popular. As manifestações de apoio ao PT foram significativamente menores.

Anúncios

Deixe uma resposta