Blogueiro do Spotniks lacra forte ao expor contradições de artistas pró-PT sobre Lava Jato

Editor do Spotniks, o blogueiros Felippe Hermes resolveu criticar a incoerência da extrema-esquerda que acusava o juiz Sérgio Moro de golpista. Os alvos principais foram o cantor Tico Santa Cruz e os atores Gregório Duvivier e Mônica Iozzi, que em diversos momentos disseram que o impeachment era uma tentativa de barrar a Lava Jato para que as investigações não chegassem ao PSDB e PMDB.

pedro3

A campanha de artistas e políticos contra as investigações foi um dos principais elementos que provocaram o acirramento dos ânimos e divisão na sociedade. Graças ao discurso partidário dos que defendiam a impunidade para o Partido dos Trabalhadores, o discurso de ódio tomou conta da sociedade brasileira de uma maneira completamente inédita.

Quando o impeachment passou, os mesmos que acusavam Moro de justiceiro passaram a celebrar as ações do juiz contra membros da oposição. Exemplo disso foram os áudios de Renan Calheiros e Romero Jucá. Nas gravações, os senadores falavam em um pacto da Lava Jato, comentando as relações entre PT, PMDB e os esquemas de corrupção. Porém os militantes só comentaram sobre as partes do áudio que incriminavam os peemedebistas, ignorando que nas mesmas conversas os senadores afirmavam que Dilma era corrupta.

Felippe Hermes acertou em cheio ao falar na seletividade dos petistas: esses mesmos nomes mudam o discurso dependendo da conveniência política, sem ao menos fazer questão de adotar uma linha de argumentação coerente. Isso explica a rejeição que esses nomes tem sofrido por parte do público, já que são justamente identificados com a corrupção. O filme do Porta dos Fundos estrelado por Gregório Duvivier fracassou devido à falta de público, e foi retirado de cartaz com menos de duas semanas. Mônica Iozzi saiu do Videoshow por conta da baixa audiência, e Tico Santa Cruz tem feito menos shows pois não vende mais ingressos como antes. Tudo porque se mancharam ao defender o petismo.

Anúncios

2 comentários sobre “Blogueiro do Spotniks lacra forte ao expor contradições de artistas pró-PT sobre Lava Jato

  1. :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
    A Semiótica do Coração Valente
    :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

    Bom, mas sinal, sinal mesmo — signo poderoso de sedução ao consumo –, tão icônico como indicial (a secundidade de Pierce) foi o clichê muito bem montado por brilhante João Santana de cujo slogan significante é «CORAÇÃO VALENTE» — um produto a ser consumido e comprado pelas vísceras e não pela razão e raciocínio [Santana, esse que entende muito bem de Semiótica! Mas mesmo assim foi e está preso pelo inteligente Moro — que é obrigado a dominar de maneira fabulosa, igualmente, a Semiótica!].

Deixe uma resposta