Senadores não vão ceder à chantagem de Dilma. Pretendem questioná-la no Senado

Antes da defesa de Dilma se apresentar novamente no Senado, aliados da presidente afastada, que hoje são bem poucos, tentam costurar um “acordo” que permitiria a ela comparecer ao julgamento final sem ser interpelada pelos senadores de oposição. A petista teme que possam “atacá-la”, mas na realidade ela não quer ser questionada por ninguém, quer apenas depor em seu favor e poder sair sem que ninguém a pressione.

A oposição, no entanto, não está nenhum pouco interessada no acordo. Aliados de Michel Temer acreditam que seja muito difícil darem esta garantia a Dilma, que já não possui mais capital político algum. José Eduardo Cardozo tenta rebater, alegando que Dilma só comparecerá se puder “falar e ir embora”. A postura, arrogante, não é muito bem vista.

O senador Cássio Cunha Lima, do PSDB, alega que não abrirá mão de inquirir Dilma durante a sessão. “Seremos respeitosos, mas não abriremos mão das perguntas. Seremos firmes, mas respeitosos”, disse.

Em 1992, o então presidente Fernando Collor não compareceu ao julgamento. Segundo interlocutores, Dilma ainda está avaliando a situação, mas já disse que está esgotada.
Anúncios

3 comentários sobre “Senadores não vão ceder à chantagem de Dilma. Pretendem questioná-la no Senado

  1. Todos têm o direito de educada e respeitosamente questiona-la e da mesma forma comentar a resposta recebida.
    O único gesto digno que Dilma pode fazer é o de renunciar, diminuindo assim o prejuízo que todos estamos tendo, caso contrário, espero que no dia da arguição o senador Magno Malta esteja em dia inspirado.

  2. Ela merece ser tratada da mesma forma que tratou o povo brasileiro ,porém,Confio no Senador Magno Malta que vai lhe argüir respeitòsamente como lhe é característico mas com todo o rigor de quem foi iludido como todos nós por esta incompetente,mentirosa e corrupta .

Deixe uma resposta