Cardozo virou comediante, diz Reinaldo Azevedo

 

O advogado de Dilma Rousseff, que até bem pouco tempo era também Advogado Geral da União e Ministro da Justiça, virou alvo de críticas na internet após suas declarações sobre o relatório apresentado por Antônio Anastasia, que sustenta a tese de que Dilma é culpada por emissão de créditos sem aprovação do Congresso e pelas pedaladas fiscais.

O jornalista Reinaldo Azevedo, em artigo para a revista Veja, disse: “José Eduardo Cardozo, ex-ministro da Justiça, ex-advogado geral da União e, torço por isto, ex-professor de direito, resolveu dar início à carreira de comediante. Só isso pode explicar uma fala sua desta quarta-feira.”

Uma das falas de Cardozo, nesta última quarta-feira (3), foi dizer que “o nobre relator, com toda a sua genialidade, não conseguiu isso; conseguiu defender com o brilhantismo de praxe a tese do seu partido, mas, efetivamente, ele não conseguiu reunir e captar a verdade desses autos.”

Azevedo, diante disso, respondeu: “Cardozo acha que esses salamaleques todos anulam a bobagem que está dizendo. Dilma incidiu no Inciso VI do Artigo 85 da Constituição e no Artigo 10 da Lei 1.079. Cometeu crime de responsabilidade contra a lei orçamentária. E é claro que seu advogado sabe disso.”

“Se o senador tucano não conseguiu ser um relator isento porque tucano, o advogado de Dilma consegue ser um defensor técnico porque petista?”, perguntou Azevedo.

Reinaldo Azevedo, no restante do artigo, desmascara alguns fatos sobre Cardozo, que enquanto era Advogado da União utilizava o aparato da AGU para a defesa de Dilma, algo que passou despercebido, apesar de inconstitucional. Cardozo está longe de ser imparcial, já que antes de ser qualquer coisa, é um membro filiado ao PT. Como diz Azevedo, no fim de seu artigo, “a agressão à lógica costuma ser o último estágio de quem já não tem mais nada a dizer.”

Anúncios

6 comentários sobre “Cardozo virou comediante, diz Reinaldo Azevedo

  1. O que faz a cegueira ideológica. JEC era um brilhante professor de Direito e, quem diria, virou pajem de uma rainha louca. E, para bem cumprir seu humilhante papel, precisou ser mais mentiroso e mais patético do que sua cliente. Triste fim de carreira, já que era uma das raríssimas pessoas cultas e inteligentes de um partido marcado pela indigência intelectual e pela corrupção.

  2. Não sou torcedor de partido político . Sei me comunicar em castelhano e aprendi na Venezuela . Gostaria de viver em um país democrático . Quero o voto facultativo . Há muitas mentiras descaradas , divulgadas imaginando produzirem voto de cabresto através delas . Isso não vai acontecer , o povo não é tão bobo assim !

Deixe uma resposta