Acuada, Dilma tenta se livrar de crimes responsabilizando apenas o PT

Em entrevista à Revista Fórum, a presidente afastada Dilma Rousseff afirmou “que o PT precisa admitir seus erros, tanto na questão ética como no uso de verbas públicas, e passar por “uma grande transformação”. Dilma disse ainda que o partido deve resgatar sua história, pois só terá “sobrevida” se seus militantes souberem “fazê-lo seguir em frente”.

É a segunda vez em menos de uma semana que a presidente afastada faz críticas ao PT. Quando o marqueteiro João Santana e sua mulher Mônica Moura confessaram irregularidades na campanha de Dilma ao juiz Sérgio Moro, Dilma disse que a responsabilidade sobre os pagamentos era da “tesouraria do partido”. Em coletiva de imprensa durante tour pelo Nordeste, a presidente afirmou que “quem quisesse saber de caixa-dois deveria perguntar ao PT”.

Às vésperas do julgamento do processo de impeachment no Senado, a presidente vive um distanciamento do partido. O PT já não defende mais Dilma, optando pela estratégia das novas eleições. Os dirigentes acreditam que defender a presidente é perda de tempo, que o mais adequado é pensar na preservação do partido no longo prazo. Dilma por outro lado, teme ficar sozinha quando o impeachment for concluído. Isso é perigoso para a petista, que pode até ser presa após a perda do foro privilegiado. Publicamente, ambos os lados negam o afastamento e se dizem otimistas com o retorno de Dilma ao Palácio do Planalto.

Anúncios

Deixe uma resposta