Feminista de extrema-esquerda simula que impeachment é “igual a estupro”

 

Em uma clara demonstração de desrespeito com as verdadeiras vítimas de estupro, a auto-proclamada filósofa Marcia Tiburi, em um artigo para a Revista Cult, comparou o impeachment de Dilma Rousseff, gerado a partir de acusações sérias de crimes de responsabilidade fiscal, com um ato hediondo de estupro.

A autora, no artigo, alega que toda a motivação do impeachment é, pura e simplesmente a misoginia, ignorando que o antes de Dilma, outro presidente a sofrer impeachment foi justamente um homem.

Segundo Tiburi, Dilma Rousseff sofreu um “estupro político”, pois, para ela, “todo estupro é político”. Outro comentário absurdo foi a acusação direcionada ao deputado federal Jair Bolsonaro, alegando que ele seria um “estuprador em potencial”. De forma exagerada e delirante, o texto de Marcia Tiburi repete a comparação tantas vezes que até fazem parecer que há algum sentido.

Obviamente, a comparação entre um impeachment legalmente previsto, que segue o rito constitucional e é acompanhado pelas autoridades jurídicas do país e um estupro, que é um ato violento, hediondo e de ordem completamente distinta, gerou revoltas. Leia abaixo alguns comentários feitos em resposta ao artigo de Tiburi:

Comentário de Mara Lucy:

“12 milhões de desempregados, PIB negativo por 4 anos, rebaixamento da nota brasileira, fechamento de 23.000 leitos no SUS nos últimos cinco anos,191 mil empresas fechadas em 2015, e ela foi afastada por ser mulher…Nossa!!!!Que povo machista!!! Um povo tão machista assim jamais votaria nela para presidente, talvez se tornaram machistas no ano passado … Vai saber.”

Comentário de Apasolini:

“Esse ângulo no episódio Dilma realmente não cola. O que a escritora esquece é que Dilma foi uma criação de Lula, ela é uma marionete – isso, necessariamente, a excluir de qualquer leitura feminista.”

Comentário de Henry Berson:

“Vana Rousseff foi afastada por ser mulher? Tibure, ainda vendendo esse peixe? Ela foi afastada por incompetência, por uma administração perdulária e irresponsável. SE (minimamente) competente fosse ainda estaria no poder. Não vamos adentrar a questões como a compra insana da refinaria nos Estados Unidos, a um projeto econômico que lançou o Brasil na maior crise de sua história, ao dinheiro sujo usado em suas campanhas, a tentativa fracassada de interferir na Lava Jato para salvar o Lula – CAPO da organização petista – e nem mencionar o estelionado eleitoral aplicado contra eleitores que confiaram em suas palavras e promesas, que se revelaram uma estratégia mentirosa e fraudulenta para conquistar corações e mentes.”

 

Anúncios

3 comentários sobre “Feminista de extrema-esquerda simula que impeachment é “igual a estupro”

  1. Marcia Tiburi, de tudo que eu li, vi e assisti, sua comparação é a mais estapafúrdia e completamente divorciada da realidiade que já presenciei. Comparar um processo de impeachment da Dilma, legitimado pelas duas casas do congresso, legal, constitucional, cujo procedimento foi afiançado pelo STF, provado por meio de perícia que comprovou o crime de responsabilidade da mandatária, com o direito da ampla defesa, demonstra total desconhecimento do que está falando. Se a presidente, de fato, tivesse amor a pátria, ja teria renunciado para mitigar o sofrimento qua a nação experimenta e agoniza, e dimunuir o estrago feito, e não apostar num processo que sequer teve a coragem de encarar, ao contrário, fica viajando e passeando gastando o que não é dela. Não é questão de golpe e sim de competência para gerir a coisa pública.

Deixe uma resposta