“Todo político pilhado na corrupção diz que é perseguido político”, diz Carvalhosa

O jurista Modesto Carvalhosa, autor de “O Livro Negro da Corrupção” e crítico implacável dos desvios no erário público, acompanha a realidade política do Brasil e avalia, assertivamente, que os esquemas descobertos a partir da Operação Lava-Jato são diferentes daqueles descobertos anteriormente, em governos de antes da era petista.

“O que houve foi uma organização da corrupção pelo PT. Enquanto os partidos anteriores, em governos anteriores, não havia nenhum planejamento para aparelhar o Estado para a corrupção”, afirma o especialista.

Carvalhosa é professor e doutor em direito, e diz: “Existem no Brasil duas forças que se debatem: a força que combate a corrupção, representada simbolicamente e na realidade pela Operação Lava Jato e pela força-tarefa do Ministério Público ligada à Operação Lava Jato, e do outro lado todas as forças para, no Congresso Nacional, legalizar a corrupção.”

Em entrevista concedida ao Estadão, ele avalia ainda o recurso do ex-presidente Lula à Organização das Nações Unidas (ONU). “Essa reação do Lula não tem nenhuma originalidade, porque instintivamente todo político no mundo quando é pilhado praticando corrupção diz que é perseguido político. Eu acho que a ONU não vai levar em consideração esse tipo de pedido que não tem originalidade nenhuma”, afirmou.

Fonte: ‘Todo político pilhado na corrupção diz que é perseguido político’, diz jurista sobre Lula na ONU

Advertisements
Anúncios

Um comentário sobre ““Todo político pilhado na corrupção diz que é perseguido político”, diz Carvalhosa

Deixe uma resposta