PT escala quatro senadoras para fingir que “impeachment é machismo”

Insistindo na retórica insultante ao povo brasileiro de tratar o impeachment como um “golpe machista”, há um núcleo político ligado ao PT se formando para retratar o processo de impeachment – constitucionalmente previsto – como se a motivação para ele fosse o simples fato de Dilma Rousseff ser mulher.

Para caracterizar o teatro, serão chamadas as senadoras Gleisi Hoffmann e Fátima Bezerra, do PT, Vanessa Grazziotin, do PCdoB e Kátia Abreu, do PMDB. O senador petista Lindbergh Farias comenta, dizendo: “Até porque tem muita misoginia e machismo neste golpe.”

A estratégia é um misto de desespero, puro e simples, com uma tentativa de resgatar os laços perdidos com uma parte da militância. O PT perdeu a proximidade com certos movimentos, e isso já é reconhecido pelo próprio partido. A ideia é que, diante da impossibilidade de evitarem a queda de Dilma, os petistas consigam ao menos se reaproximar dos núcleos estudantis e voltar a ter relações carnais com movimentos feministas, hoje dominados por membros de partidos como PSOL.

Os petistas sabem que não poderão defender Dilma com base em argumentação jurídica, mesmo porque José Eduardo Cardozo é um advogado muito fraco. Além disso, as evidências contra a presidente afastada se acumulam e sua impopularidade só aumenta. É fato que não há como defendê-la pelas vias constitucionais, então o jeito é apelar para subterfúgios medíocres e uma encenação que possa, pelo menos, atingir o lado emocional de meia dúzia de militantes.

Advertisements
Anúncios

3 comentários sobre “PT escala quatro senadoras para fingir que “impeachment é machismo”

  1. O Senado Federal não pode permitir que três ou quatro membros porn tráz das cortinas fiquem desrespeitando as Normas da Casa. Isso é GOLPE BAIXO e ante Ético

  2. Quanto ao fato do Advogado José Eduardo Cardoso não conseguir transformar a defesa da estocadora de ventos em algum tema que se possa contrapor a acusação, o mesmo conseguirá sendo inidôneo como Advogado. Porém ser Advogado de apenas uma cliente torna-se ainda mais ridiculo, especialmente quando a mesma é a Dilmentira e ao que consta ainda é dura ou se assim não for ,existe alguma coisa de errado nessa encenação toda. Um conselho aos dois. Para a Dilmanta peça que seu Patrono peça a gratuidade da Justiça para vc. Em contrário sensu, que seu Advogado faça a devida Inscrição na Defensoria Pública para que o ato seja formalizado lastreado na gratuidade da Justiça, de acordo com a Constituição Federal. Finalizando apenas gostaria de saber do ilustre colega como é feita a mágica, ou seja como se fazer para trabalhar e nada receber e ainda conseguir pagar suas contas pelo menos as básicas. Por favor esqueça as custas judiciais, tendo em vista que estas já me foram ensinadas. Um Abraço
    Fabio

  3. O PT, como sempre, escolheu mal, não levou em conta o pessimo poder de oratória da Senadora do RN, as relações familiares incestuosas da Senadora Grazotin, o emaranhado de crimes da Senadora Gleise e seu marido, as denúncias contra o Senador Lindbergh e a fraça capacidade jurídica do Ex Ministro Cardoso.
    Já começaram perdendo, deu no que deu

Deixe uma resposta