“Dilma sabia de tudo”, dirá delação de João Santana

Conforme aponta a revista Veja, a presidente afastada Dilma Rousseff terá de ajustar seu discordo de novo em virtude dos avanços das investigações da Lava-Jato.  A matéria lembra que há cerca de um ano, diante das acusações de que sua campanha recebera doações por fora da construtora UTC, ela afirmou: “Eu não aceito e jamais aceitarei que insinuem sobre mim ou a minha campanha qualquer irregularidade (…) porque não houve”.

Ultimamente, as negativas tem adotado um tom cada vez mais baixo. Há duas semanas, após a delação do marqueteiro João Santana e de sua esposa Mônica Moura, Dilma disse: “Não autorizei pagamento de caixa dois a ninguém. (…) Se houve, não foi com meu conhecimento”. Cinco dias depois, ela lançou outra narrativa: “Minha campanha não tem a menor responsabilidade sobre em que condições pagou-se dívida remanescente da campanha de 2010. (…) Ele (João Santana) tratou essa questão com a tesouraria do PT”. Aqui ela já mudou o “eu não sabia” para transferir a culpa ao partido.

Mas em sua proposta de delação premiada feita à Procuradoria-Geral da República, João Santana e sua mulher relatam que a presidente afastada não só sabia da existência do caixa dois como aprovou as operações ilegais. O casal afirma que Dilma conhecia detalhes do custo real da campanha e o valor que era declarado oficialmente. De um montante de dezenas de milhões de reais, a diferença vinha de empresas envolvidas no petrolão.

Parte desses recursos vinha de propinas avalizadas pela petista, sendo utilizada até para pagar despesas pessoais da presidente. Santana apresentará documentos comprovando todas as acusações, constantes de mais de dez capítulos chamados de “anexos”. Quem leu os anexos, garante que “o mago do marketing petista, que ajudou a construir a imagem de Dilma, está agora armado com provas para fulminá-la”.

Anúncios

3 comentários sobre ““Dilma sabia de tudo”, dirá delação de João Santana

  1. A culpa disso é falta de uma boa (Para o Povo) Reforma Política. Com apenas três  partidos é bem mais facil a Justiça Eleitoral fiscalizar os Candidatos lançados pelos Partidos e que nunca mais uma DILMA da Vida, reapareça 

  2. A hipocrisia dessa mulher é inexplicável. Sabemos que políticos do Brasil desde sempre, em sua quase completa totalidade, nunca honraram os princípios da honestidade, do trabalho sério, da ética e do respeito à Constituição. O que será que se passa na cabeça das pessoas que são eleitas, em que a mentira é a palavra que predomina, ao agirem de forma que contraria tudo que é certo e moral ao invés de fazer o País desenvolver e trazer benefícios para a população. Sabemos que neste País a “profissão de político” é cobiçada, em razão dos altos salários, prerrogativas e várias regalias que comparada às outras profissões são irrisórios: Será esta a razão pela loucura do Poder que os induz a desvirtuarem-se, mesmo com a perda do caráter, do respeito das pessoas e principalmente dos familiares? A possibilidade de conquistarem sem limites e ainda ganhar mais dinheiro eles se julgam que se tornarão especiais? Até agora tudo foi feito de acordo com as conveniências de todos os interessados, e isso leva o País à desgraça. Estamos observando mudanças, porém precisam ser trabalhadas e tratadas com maior rapidez para colocar um fim na sujeira que está inserida a Política no Brasil.

    1. O problema é que a impunidade para esses traidores da nação está no DNA da organização social e política do Brasil, e para extitirpa-la precisamos de uma intervenção que seja cirúrgica. Só espero que a Lavajato seja suficiente, mas começo a duvidar da sua eficácia frente ao aparelhamento do Estado feito nos últimos 20 anos.

Deixe uma resposta