Violência contra a mulher: Jovem muda versão sobre agressão e diz que “bateu a cabeça”

A universitária de 19 anos, Maria Aparecida Nery de Melo, que acusou o Senador Telmário Mota (PDT) de tê-la espancado no fim do ano passado, resolveu mudar sua versão dos fatos após a enorme repercussão do caso na última quarta-feira, 27. Segundo Maria, que inicialmente teria sido espancada pelo Senador, as lesões registradas em vídeo e em exame de corpo de delito são, na realidade, o resultado de uma queda.

A jovem diz que caiu no chão e bateu a cabeça enquanto dormia, embora as lesões, segundo peritos, não sejam condizentes com uma simples queda. Em nova declaração, Maria diz que o Senador é amigo de sua família, e que esteve lá no dia 26 de dezembro de 2015 durante uma festa. Ela tentou retirar a queixa e disse que não foi agredida pelo parlamentar, no entanto ainda não há justificativa para o fato de ela própria tê-lo denunciado poucos dias depois do fato, tendo registrado Boletim de Ocorrência contra Mota o acusando de violência.

O caso ainda segue em aberto, pois no primeiro depoimento a jovem deu detalhes bastante precisos sobre o acontecimento, acusando o senador de tê-la agredido no quarto por ciúmes devido ao comportamento da moça em relação a seus parentes homens. Além disso, Maria disse em sua primeira versão que conversou com a família e que foi incentivada a fazer o registro da ocorrência. Outra coisa que não bate entre as duas versões é o tipo de relacionamento descrito pela estudante. Na primeira versão, ela dizia ser amante de Telmário, nas versões atuais nega qualquer relacionamento e afirma que é apenas amiga dele.

Após a nova declaração, internautas lembraram de uma recente campanha contra a violência doméstica. Veja o vídeo:

Anúncios

Deixe uma resposta