Telmario patrulhou Janaína Paschoal em Comissão. Tomou resposta à altura.

O senador bolivariano Telmário Mota (do PDT , e apoiador de Dilma) foi acusado pela Folha de ter batido em uma jovem de 19 anos até que ela desmaiasse. Ainda hoje, o senador negou veementemente as acusações, alegando que processará a Folha.

Segundo a matéria da Folha, o exame de corpo de delito teria confirmado “lesões na cabeça, boca, orelha esquerda, região dorsal, braço direito e joelho esquerdo“. A matéria ainda afirmara que após uma sequência de murros na cabeça, a mulher desmaiou. O caso vem sendo investigado pelo PGR e o STF, dado que o senador tem foro privilegiado. Aguardamos mais notícias sobre o caso.

Enquanto isso, o site Implicante lembrou um outro caso gravíssimo que, mesmo não envolvendo violência físico, se relaciona a um extremo caso de desrespeito praticado por Telmário contra a advogada Janaína Paschoal.

Na tentativa de constranger Janaína, Telmário levou à Comissão de Impeachment de Dilma o nome de Douglas Kirchner, procurador que havia sido defendido pela advogada sob a acusação de agressão contra a ex-mulher. A atitude de Telmário foi desrespeitosa com a profissão de advogado, visto que os advogados não precisam comentar as relações profissionais mantidas com clientes e que nada tenham a ver com o objeto da discussão. Na verdade, não podem fazer isso. A tentativa de Telmário foi um caso claro de patrulhamento e constrangimento contra uma profissional.

Na ocasião, porém, o senador se deu mal, pois imediatamente após o ataque, Janaína deu uma resposta à altura, exigindo respeito para com os clientes de seu escritório. Ela ainda lembrou ao Senado que o procurador em questão só se tornou alvo de investigação após ter começado a avaliar o caso de tráfico de influência no BNDES, que teria sido praticado por Lula.

Relembre o caso, ocorrido meses atrás:

Anúncios

Deixe uma resposta