Em nova bravata, líder do MST diz que “vai parar o Brasil”

Durante evento em Aracaju (SE), o líder do MST João Stédile, junto da presidente afastada Dilma Rousseff, fez mais uma ameaça contra a democracia. Stédile disse que se “não aceitarem Dilma de volta” eles vão “parar este país.” Disse, também, que as centrais sindicais e movimentos têm que “assumir o compromisso de preparar uma greve geral.”

A ameaça é repetida. Antes de Dilma ter sido afastada, em maio, o mesmo MST já havia dito declarado que pararia o país caso o Senado admitisse o impeachment, o que de fato ocorreu e resultou no afastamento da presidente. No entanto, apesar de terem acontecido alguns protestos, eles foram pontuais. Ao contrário do que prometeu João Stédile e outras lideranças ligadas ao PT, a economia brasileira deu até sinais de melhora nos últimos dois meses.

Ainda durante o evento, que mais pareceu uma encenação teatral criticada até por apoiadores da petista, Stédile disse que Dilma e Lula não deveriam ir às Olimpíadas do Rio, pois o Comitê Olímpico Internacional convidou Michel Temer – uma atitude normal, já que o COI não tem nenhuma conexão com os fatos ocorridos no Brasil que não tenham relação com os jogos.

Entretanto, os petistas provavelmente já não compareceriam ao evento por temerem a hostilidade do povo. Durante a Copa do Mundo em 2014, Dilma foi vaiada em rede internacional por pelo menos duas vezes. Desta vez, se o fato se repetisse, seria trágico, já que a campanha do PT sobre o impeachment é basicamente chamá-lo de golpe. Caso as autoridades de diversos países do mundo vissem a presidente sendo vaiada, seria o fim dessa narrativa.

 

Anúncios

Um comentário sobre “Em nova bravata, líder do MST diz que “vai parar o Brasil”

  1. ALEM DE NÃO TEREM RESPONSÁVEL O PT DISSE QUE IA FAZER E APARECER SÓ QUE ELE TEM QUE PENSAR QUE O GRUPO DO PT TEM FAMÍLIA PARA SUSTENTAR E O PT NÃO ESTÁ COM ESSE CAPITAL TODO PARA TA BANCANDO TUDO.A NÃO SER QUE LULA E DILMA TENHAM MUITO DINHEIRO PARA BANCAR TUDO.

Deixe uma resposta